terça-feira, 21 de dezembro de 2010

Vozes vindas do céu



Referência: Lucas 3.21-22 – 9.35 – João 12.27-30

1.Que Jesus é o verdadeiro Messias de Deus, pode ser provado por várias razões:

a)Pelas centenas de profecias que apontaram para a sua vinda ao mundo – O VT é uma preparação para a sua vinda ao mundo.
b)Pelos seus milagres extraordinários – Os cegos viram, os paralíticos andaram, os leprosos o eram purificados e os mortos ressuscitavam.
c)Pelos seus ensinos excelentes – Suas palavras são espírito e vida. Ninguém jamais falou como ele. Ele ensinava com autoridade.
d)Pela sua ressurreição – Ele venceu a morte.
e)Pela voz celestial – Três vezes o Pai quebrou o silêncio e falou audivelmente do céu, testificando que Jesus era o Seu Filho amado, o Messias.
I. VEJAMOS QUANDO AS VOZES DO CÉU FORAM OUVIDAS
1.Os anjos proclamaram o seu nascimento. Os sábios viram a sua estrela, mas a voz do céu não foi ouvida durante os trinta anos da sua vida. A primeira voz veio no começo do seu ministério, em seu batismo. A segunda voz veio no meio do seu ministério no Monte de Transfiguração. A terceira no fim do seu ministério, quando estava à sombra da cruz. Jesus ouviu a voz do céu no começo, no meio e no fim do seu ministério. Seu ministério público começou, continuou e terminou sob o divino testemunho do Pai.
2.Todas as três vezes que a voz do céu foi proclamada foi no contexto da morte de Cristo. A primeira vez, no Jordão, Jesus foi apresentado como o Cordeiro de Deus que tira o pecado do mundo. O Cordeiro foi imolado para a nossa redenção. A segunda vez, foi no Monte de Transfiguração, quando Moisés e Elias falavam para Jesus sobre a sua partida para Jerusalém, o seu seja, sua caminhada para o Calvário. A terceira vez foi no Templo, na mesmo momento em que Jesus falava que tinha vindo ao mundo para morrer pelos nossos pecados.
3.Todas as três vezes que a voz do céu foi ouvida foi também no contexto de oração. No Jordão o céu se abriu porque Jesus orou. Ele orou, o céu se abriu, o Pai falou e o Espírito Santo desceu. Na Transfiguração, Jesus orou, o seu rosto transfigurou-se, a nuvem de glória apareceu e o Pai falou. No Templo, Jesus orou e o Pai falou dizendo que estava sendo glorificado no Filho e que ainda seria mais glorificado em sua morte. A vida de Jesus era o palco onde se manifestava a glória de Deus.
4.A primeira vez que o Pai falou dizendo que Jesus era o seu Filho Amado foi antes da TENTAÇÃO NO DESERTO. Ele providencia para nós poder, consolo e segurança antes de nos permitir passar pelos desertos da tentação. O diabo quis colocar dúvida no coração de Jesus sobre sua filiação, mas Jesus já havia ouvido o testemunho do céu, antes de ouvir a voz tentadora de Satanás.

5.A segunda vez que o Pai falou foi antes da grande jornada dos setenta discípulos na grande cruzada de evangelização das cidades. Os doze já tinha curado enfermos, expulsado demônios e feito muitos milagres portentosos. Mas agora a obra precisa enlarguecer-se. Mais obreiros precisavam ser envolvidos. Os céus deram a Jesus uma prova de sua Filiação antes do Senhor estender suas agências de misericórdia. Assim, também, quando o Senhor nos chama para trabalhos maiores, mais arrojados, nós devemos também nos colocar a parte em retiro de oração e então recebemos conforto e capacitação para fazer a obra.

6.O terceiro testemunho celestial veio para o Senhor exatamente antes do seu sofrimento e da sua morte. Naquela semana ele seria preso, torturado, castigado, ultrajado, condenado, crucificado. Naquela semana ele seria cuspido, ferido, e levado diante do Sinédio, do Palácio romano, da multidão e exposto ao espetáculo público no Gólgota. Naquela semana Jesus iria dizer: “Minha alma está profundamente triste até a morte” e também “Deus meu, Deus meu, por que me desamparaste?”. Mas de passar pelo calvário Jesus recebe a confirmação do Pai de que sua vida e sua morte estavam trazendo glória para o seu nome.

7.A primeira voz veio a Jesus quando ele estava numa atitude de OBEDIÊNCIA. Ele não precisava ser batizado. O batismo de João era para arrependimento. Ele não tinha pecado. João entendeu isso: “Eu é que preciso ser batizado por ti.” Mas Jesus obedeceu o Pai e identificou-se conosco. E como nosso fiador e representante, ele assumiu o nosso lugar. Levou sobre si a nossa culpa, o nosso pecado e foi batizado por se identificar conosco, para cumprir a lei e satisfazer a justiça divina. Quando você está no caminho da obediência filial você ouve a voz do céu dando testemunho que de fato você é filho de Deus.

8.A segunda atestação vinda do céu veio ao Jesus quando ele estava num RETIRO DEVOCIONAL DE ORAÇÃO. Jesus subiu o monte de Transfiguração para orar. Ele tinha fome de Deus. Ele tinha prazer e deleite na vida de oração. Para ele a comunhão com o Pai era mais importante que o sucesso do ministério. Nós jamais poderemos triunfar em público no ministério se nós não tivermos intimidade com Deus em oração. Ouvimos pouco a voz de Deus, porque temos poucos retiros devocionais para estarmos a sós com o Pai.

9.O terceiro testemunho veio ao nosso Senhor quando estava engajado nas lides do MINISTÉRIO. Ele estava pregando no Templo, quando o Pai respondeu a sua oração. Precisamos entender que a obediência e a oração não anula a necessidade de estarmos engajados na obra da pregação. O ministério público é tão aceitável a Deus como as horas secretas de oração. Não negligencie a obediência, não negligencie a oração, mas não se esqueça de fazer a obra de Deus. Quando obedecemos ao Senhor, ouvimos sua voz e fazemos sua obra ouvimos a sua voz.

quinta-feira, 16 de dezembro de 2010

Em 2011...Receberemos mais de Deus e de seu REINO


O Nosso Propósito Existencial!!

Propósito é o fundamento da visão. Visão é a manifestação do propósito. Propósito é o que você nasceu para fazer; visão é quando você vê isto. Uma das coisas mais maravilhosas é ter a oportunidade de fazer o que você está vendo. É assim que você sabe que está em seu propósito. Contudo, se você continua vendo algo a mais, onde você está é temporário. Visão é um vislumbre do seu propósito. Eu sonho o tempo todo e vivo em meus sonhos. Se você vive em seus sonhos, você elimina o estresse. Às vezes pessoas podem chamá-lo de louco. É bom ser louco e saudável. Se você diz que sua vida acabou e você está emperrado onde está, você pode estar deprimido. Entretanto, se você tem um sonho além de onde você está, então você pode sempre planejar acordar para o seu sonho posterior que você pode lidar com as condições presentes.
Onde você nasceu para estar é livre de estresse. Quando você está em seu trabalho, ele lhe dá energia. Ele não esgota você. Você pode sempre dizer que quando não está em seu propósito; você está cansado. Entretanto, quando você está em seu propósito, precisam lhe dizer que é sua hora de almoço. Quando você está em seu propósito, você não trabalha mais por um salário. Você trabalha para maximizar o seu potencial.
Visão é o depósito de Deus no espírito do homem. Você nasceu por um propósito, e Deus o colocou em você. É por isto que a visão é relacionada com a palavra inspiração. Inspiração significa sopro de Deus. Quando você sopra em um balão, não há apenas ar dentro do balão, mas há o seu ar. Deus tomou você e assoprou dentro de você. Isto significa que seja o que for que haja em você, é o que Deus quis em você. Considere quando Jesus soprou em Seus discípulos depois da Sua ressurreição (João 20:22). Ele não soprou neles coletivamente. A Bíblia diz que Ele foi a cada um separadamente. O ponto é que Deus não sopra genericamente. O que Ele sopra em nós não é o que Ele soprou em outra pessoa. Em outras palavras, o que você nasceu para fazer não é a mesma coisa que eu nasci para fazer.
Você está inflado e preenchido em seu propósito. Você está possuído com a designação de Deus para a sua vida. Não importa quantos passos você deu na direção errada. É possível ir à faculdade por quatro anos e gastar milhares de reais estudando o objeto errado. Quando você finalmente consulta a Deus, você descobre que o que você estudou não está relacionado ao que é esperado que você faça. É uma tragédia ser perfeitamente educado na coisa errada.
Visão é propósito em quadros. Acredite nos quadros mais do que no presente, e você terá paz. Pela alegria que lhe está proposta, você pode enfrentar os problemas do presente.

Uma reflexão retirada de um livro edificante neste mes de dezembro de 2010

terça-feira, 14 de dezembro de 2010

CRENTES DO SUPEREGO E CRENTES DO EVANGELHO


Você pergunta: O que é o superego?
De acordo com a Psicanálise o Superego faz parte do aparelho psíquico, de que ainda fazem parte o ego (eu) e o id (impulso).
O Superego representa a censura das pulsões que a sociedade e a cultura impõem ao id, impedindo-o de satisfazer plenamente os seus instintos e desejos. É a repressão, particularmente, a repressão sexual. Manifesta-se à consciência indiretamente, sob forma da moral, como um conjunto de interdições e deveres, e por meio da educação, da religião, pela produção do "eu ideal"; isto é, da pessoa moral, boa e virtuosa.
Ora, a maior parte dos crentes que vejo por aí, são discípulos do Superego. Daí precisarem tanto de pastores fortes e impositivos, de igrejas mandonas, de líderes férreos em suas decisões, e, sobretudo, daí também necessitarem de “grupo”, de “vigilância", de clareza nos deveres, e de um Deus Big Brother: com olhos vendo tudo... E mandando para o “Paredão”.
Por isto, longe da “igreja” ou dos “irmãos”, dizem “desviar-se” da fé; ou, ainda, dizem que “não seguram a onda sozinhos”, a menos que haja uma raiz de censura latejando em suas mentes, ainda que seja o latejamento da culpa como dever de comportamento conforme os padrões do grupo ao qual a pessoa pertença.
Você vê isto através de exemplos simples:
1. Pastores juntos e viajando... Ficam irreconhecíveis. Veja-se o que pagam no pay-per-view do hotel e se verá que o gasto é quase todo em filmes pornográficos, sem falar que soltam a franga muitas vezes, na prática;
2. Crentes que vão viver em outros países. Em geral, até que achem uma “igreja”...; uma “igreja” como fiscal da conduta...; muitos se entregam a tudo quanto antes diziam “não” em suas cidades ou países;
3. Os crentes que ficam zangados com a “igreja” ou com o “pastor”, na maioria das vezes se entregam a tudo quanto antes diziam ser ruim. E por que o fazem? A fim de se vingarem da “igreja” ou do “pastor” que lhe condicionaram “hipocritamente” o comportamento. Assim, incoerência de “pastor” praticada contra o crente do superego, em geral resulta em desvio da fé, posto que as pessoas não sejam crentes na consciência, por si mesmas, mas apenas em razão das vigilâncias do superego.
A carga moral e cultural que a “igreja” produz é, muitas vezes, confundida com CONSCIÊNCIA, embora nada tenha a ver com ela.
Os que sofrem em razão das transgressões cometidas contra o Superego, não têm ainda uma consciência, mas apenas um cabresto psicológico.
A CONSCIÊNCIA é tão diferente do superego quanto o espírito seja diferente e mais profundo do que o aparelho cerebral.
Um bom exemplo do que digo vem das figuras dos “filhos” nas parábolas de Jesus.
Sim! O Filho Mais Velho [na parábola do Pródigo] tinha superego, mas não consciência. O Pródigo, no início, rebelou-se contra o Superego e foi... Mas voltou com uma CONSCIÊNCIA!... O mesmo se pode dizer da parábola dos dois filhos, o filho “sim” e o filho “não”. O filho “sim”, que dizia “eu vou”, mas nunca ia, tinha apenas superego em crise de dever moral para com o Pai, mas não tinha consciência. Daí sempre dizer “sim” a fim de agradar as aparências do superego, mas nunca ser capaz de, pela consciência, se mover. Já o filho “não”, não respeitava o Superego, mas, ao fim, respeitava a própria CONSCIÊNCIA, por isto disse “não”, mas, depois, disse “sim” com os atos da vida.
O superego funciona sob olhares e vigilâncias. Já a CONSCIÊNCIA não precisa de “testemunhas” para se conduzir como deve, posto que a ela, a consciência, baste para o individuo; o qual age não porque tema não agir, mas sim porque não tem como não agir ou deixar de agir em razão do que no coração seja certo ou errado.
O Sacerdote e o Levita da história do Bom Samaritano tinham apenas Superego; por isto passarem “de largo” ante ao caído. O Samaritano, no entanto, tinha consciência, não superego. Por isto, sem dar importância a quem poderia ter ajudado e não ajudou..., ou mesmo a qualquer outro tipo de consideração, apenas viu e fez o que podia.
Se você é do tipo que perderia a fé em Jesus se, por exemplo, seu pai, mãe, pastor, pessoa de referencia, ou, no caso de você que gosta de mim, se eu deixasse a fé dizendo que era tudo uma balela — tenho algo a dizer a você:
VOCÊ AINDA É DISCIPULO DO SUPEREGO!
Se o mundo inteiro descrer...; e se todos os meus amados deixarem a fé...; ou mesmo se eu descobri-se uma carta de meu pai dizendo que havia deixado de crer em tudo o que me ensinou, mas que não me teria dito apenas para não me escandalizar — creia: NADA MUDARIA NA MINHA FÉ; pois, faz décadas que meu pai deixou de ter qualquer coisa a ver com minha fé.
A CONSCIÊNCIA começa quando todos se vão..., mas o discípulo fica; e fica dizendo: “Para quem irei eu, visto que agora eu mesmo conheço as palavras da vida eterna?”
É fácil saber se você é discípulo da CONSCIÊNCIA ou apenas discípulo do SUPEREGO:
a) Veja se você pensa em desanimar na fé apenas porque gente que você gostava decepcionou você; b) veja se você, apesar de tudo e qualquer um, prossegue sempre, sabendo em Quem tem crido.
Se você é b..., então, Graças a Deus o caminho do discipulado está em você. Mas se você é ainda um ser no a..., então saiba: você é ainda um ente religioso e moral, sem raiz em você mesmo, e que pode deixar tudo tão logo os ventos soprem diferente...
Pense nisto e decida quem você quer ser!
Nele, que nos chama a andar pela consciência em fé,
Rev.Caio Fabio (extraido de seu site para nossa edificação)

segunda-feira, 13 de dezembro de 2010

Frases que mexerem comigo em 2010...


Nunca dê a um critico mais tempo do que você daria a um amigo. (Mike Murdok)
Quando o homem não sabe a qual lugar pertence, ele acaba se adaptando ao lugar em que está. (Mike Murdok)
"O pessimista se queixa do vento. O otimista espera que ele mude. O realista ajusta as velas." William George Ward
"A vida é um eco. Se você não está gostando do que está recebendo, observe o que está emitindo." Desconhecido
“Amar é ter um pássaro pousado no dedo. Quem tem um pássaro pousado no dedo sabe que, a qualquer momento, ele pode voar” Rubem Alves
“Nós não vemos as coisas como elas são. Nós vemos como nós somos”. Desconhecido
“Na hora da verdade ninguém engana a vida. É possível enganar o professor, os pais e até a pessoa que as estas contratando, mas enganar a vida é impossível. Na hora da verdade a vida se encarrega de pôr todas as pessoas no devido lugar.” (ROBERTO SHINYASHIKI)
“Vencer não é competir com o outro. É derrotar seus inimigos interiores.” Roberto Shinyashiki
“Assumir nossos erros exige muita coragem em um mundo que parece feito de pessoas que sempre ganham todas...Assumir nossa ignorância exige muita humildade nesse mundo de quem sabe tudo.” Roberto Shinyashiki
"UM SER HUMANO SEM DÚVIDAS NÃO EVOLUI. O QUESTIONAMENTO É O PRIMEIRO PASSO PARA NOS ABRIRMOS PARA O NOVO." Roberto Shinyashiki

“Os campeões estão dispostos a fazer o que detestam, para criar algo que eles amam.” (Mike Murdok)
“Olhos cansados raramente conseguem enxergar um bom futuro”. Desconhecido
“O futuro de uma pessoa será decidido pelo que ele está disposto a mudar”
Mike Murdok
“As pessoas de sucesso são sempre aqueles que tiveram coragem de errar.”
CEFO
“As decepções, a derrota, o desanimo são sempre ferramentas que Deus utiliza para mostrar a estrada.” Desconhecido

segunda-feira, 22 de novembro de 2010

Um balsamo para a Alma em tempos de tantos 'vencedores"

O Rosto de Deus
Ricardo Gondim
Rafael, Michelangelo e vários outros pintores tentaram retratar o rosto de Deus. Foram infelizes. Como mostrar na tela quem nunca foi visto? Com a proximidade do Natal, mais artistas procuram esboçar o que imaginam ser o rosto de Deus.
Ele se parece com uma criança? É o frágil bebê das manjedouras? Talvez; o reino do céu pertence aos pequeninos, aos que mamam. Ao tentar desenhar o mistério, o artista termina com um ídolo.
O rosto de Deus, entretanto, pode ser experimentado nos sem-teto que perambulam pelas ruas e dormem nos viadutos das grandes cidades. Quando Jesus nasceu, a família estava sem moradia certa, não possuía recursos para pagar uma hospedaria e viu-se obrigada a refugiar-se em um estábulo.
O rosto de Deus pode ser percebido em vítimas de preconceito e em injustiçados. Sobre o menino que nasceu em Belém pairou uma dúvida: ele era de fato filho de José? O casal não inventara aquela história toda para se safar de um rolo?
O rosto de Deus se revela nos desprezíveis, nos que foram condenados à margem da história. Quando o menino nasceu, ninguém notou ou escutou o alarido dos anjos. A trombeta que anunciou paz na terra pela boa vontade de Deus passou desapercebida da grande maioria. Apenas um punhado de pastores foi sensível para presenciar o momento mais importante da história.
Qual o rosto de Deus? Ele não se parece com os cartões postais ou com o menino de barro das lapinhas. Deus é igualzinho a Jesus. E Jesus é bem parecido com o vizinho do lado, com a mulher que pede socorro na delegacia do bairro e com a família que chora a morte do filho no corredor do ambulatório.
Não é preciso muito para encontrar Deus, basta um coração de carne, humano.
Soli Deo Gloria

"Quem é que o vento e o mar lhe obedecem?"


As maiores lições de Deus para nossa vida são na crise. A crise forja caráter, traz crescimento. A crise é a escola de nível superior que o Espírito Santo usa para formar Cristo em nós.
Provavelmente você vai chegar à conclusão que se aprende mais nas tempestades dos que nos tempos de bonança. Veja os discípulos que através do livramento na tempestade eles tiveram uma visão mais clara da grandeza singular do Senhor Jesus Cristo. Eles antes estavam com medo da tempestade e agora estão espantados com a grandeza do homem de Nazaré. Estão com temor, respeito acerca daquele que eles seguem. A palavra grega aqui não significa medo covarde, mas temor reverente.
O medo e a falta de fé vêm à tona por um único motivo: Eles não sabem quem é Jesus! Quando passa o medo da tempestade e da morte, eles são acometidos por outro tipo de temor; uma sensação de assombro, porque Deus estava bem ali. Eles passaram a ter uma fé real e experimental e não uma fé de segunda-mão.
Deus está nos desafiando a ter uma fé viva e experimental e não uma fé de segunda mão.
Uma das partes que compartilhei com os irmãos na reunião da Igreja dia 21/11/2010

segunda-feira, 1 de novembro de 2010

Refletindo sobre os cristãos Urubus

Tenho visto essa categoria aumentar a cada dia, e tenho que confessar que preciso lutar contra mim mesmo para não tornar-me um deles!

Os profetas sempre tiveram um papel fundamental no judaísmo e, no cristianismo, são como torres de vigias, quase nunca se encaixam nos padrões dos “sacerdotes” e estão lá para falar na cara os erros dos falsos profetas, sacerdotes, intérpretes. Os erros do povo de Deus.

Mas existe uma grande diferença entre um profeta e um cara que só gosta de criticar, o profeta é um cara que não se conforma com o erro, mas que ama muito a quem ele está criticando.

Certa vez ouvi a história de uma profetiza que entrou no gabinete pastoral e falou: Pastor, Deus vai destruir a nossa cidade esta semana por causa dos nossos pecados!

O pastor se levantou e olhou nos seus olhos e declarou: Isso que você esta profetizando é falso! E ela com os olhos arregalados perguntou o porque ele falava isso. Ele respondeu: Porque se você fosse profeta de Deus e esta mensagem fosse dele, você falaria isso com lágrimas nos olhos!

Nem sei se esta história é verdadeira, mas ela ensina algo que é muito verdadeiro: o profeta sente dor em mostrar os erros dos da sua casa. Não é prazeroso para ele, ele o faz porque Deus mandou e não tem saída, ele tenta sempre trazer o conserto e a reconciliação.

Com a internet, a voz dos que não eram ouvidos ganhou uma chance, mas com esta chance veio todo o tipo de “profeta” e frustrados religiosos.

Se você varre a sua casa e joga o lixo fora, você é uma pessoa que está se importando apenas coma a casa limpa. Mas se você vai com o seu lixo até o lixão e fica por lá observando os outros lixos, aí então você deixou de se importar com a casa e se encantou pelo lixo.

É isso que tenho visto em alguns blogs, vídeos, twitters aqui na internet. Pessoas que já saíram de casa para morar no lixão, onde ficam mexendo nos lixos gospels para encontrar os mais fedorentos e guardar para sua coleção. Assim, ficam o tempo todo mostrando aberrações gospels e se divertindo com o que Deus se entristece.

Apenas Urubus gostam de ficar o tempo todo em lixões ao redor das carniças. Este tipo de material não traz vida, não traz mudança social e religiosa, mas sim entretenimento bizarro, e isso os profetas nunca fizeram.

Tenho que confessar, eu sou por criação um cara muito crítico, mas não quero transformar meu blog, meu Twitter, minhas peças ou pregações em um lixão onde não me importe mais com a limpeza da casa e sim em sobreviver da carcaça de quem já esta morto. Deus me ajude a criticar com amor e a não perder o foco!

domingo, 12 de setembro de 2010

O EVANGELHO E O SERVO INÚTIL!...



Jesus nos apresenta dois contextos nos quais a idéia de Servo Inútil aparece. O primeiro é o de Mateus:
Porque isto [...] é também como um homem que, partindo para fora da terra, chamou os seus servos, e entregou-lhes os seus bens. E a um deu cinco dinheiros, e a outro dois, e a outro um; a cada um segundo a sua capacidade; e, depois disso, ausentou-se logo para longe. Ora, tendo ele partido, o que recebera cinco dinheiro negociou com eles, e ganhou outros cinco. Da mesma sorte, o que recebera dois, que veio a ganhar também outros dois. Mas o que recebera um, foi e cavou na terra e escondeu o dinheiro do seu senhor.
Muito tempo depois veio o senhor daqueles servos, e fez contas com eles!...
Então [...] aproximou-se o que recebera cinco dinheiros, e trouxe-lhe outros cinco dinheiros, dizendo: Senhor, entregaste-me cinco; eis aqui outros cinco dinheiros que ganhei com eles.
E o seu senhor lhe disse: Muito bem, servo bom e fiel. Sobre o pouco foste fiel, sobre muito te colocarei; entra no gozo do teu senhor.
Chegando também o que tinha recebido dois dinheiros, disse: Senhor, entregaste-me dois; eis que com eles ganhei outros dois.
Disse-lhe o seu senhor: Muito bem, bom e fiel servo. Sobre o pouco foste fiel, sobre muito te colocarei; entra no gozo do teu senhor.
Mas, chegando também o que recebera um talento, disse: Senhor, eu Te conhecia, e sei que és um homem duro, que ceifas onde não semeaste e ajuntas onde não espalhaste; e, atemorizado, escondi na terra o teu talento; aqui tens o que é teu.
Respondendo, porém, o seu senhor, disse-lhe: Servo mau e negligente; sabias [?] que ceifo onde não semeei e ajunto onde não espalhei? Devias então ter dado o meu dinheiro aos banqueiros e, quando eu viesse, receberia o meu com os juros.
Tirai-lhe, pois, o dinheiro; e dai-o ao que tem os dez. Porque a qualquer que tiver será dado, e terá em abundância; mas ao que não tiver até o que tem ser-lhe-á tirado.
Lançai, pois, o servo inútil nas trevas exteriores; ali haverá pranto e ranger de dentes.
A segunda afirmação de Jesus sobre o Servo Inútil está em Lucas: E qual de vós terá um servo a lavrar ou a apascentar gado, a quem, voltando ele do campo, diga: Chega-te, e assenta-te à mesa? E não lhe diga antes: Prepara-me a ceia, e cinge-te, e serve-me até que tenha comido e bebido, e depois comerás e beberás tu? Porventura dá graças ao tal servo, porque fez o que lhe foi mandado? É certo que não!
Assim também vós, quando fizerdes tudo o que vos for mandado, dizei: Somos servos inúteis, porque fizemos somente o que devíamos fazer.
No evangelho de Mateus a idéia positiva, a que faz um Servo Bom, é a confiança na Graça e a gratidão pelo privilégio de ser quem se é para Deus; sem medo de expressar e aumentar o dom da Graça em nossa vida; o que significa viver a plenitude de nossos dons, talentos, recursos e possibilidades; sendo que a ênfase recai sobre a alegria no servir como vida e do viver como serviço que dá sentido ao existir.
Já o Servo Inútil recebe um severo castigo...
E quem é esse Servo Inútil conforme Jesus declarou em Mateus? Ora, é aquele que crê em Deus com raiva de Deus; e que projeta em Deus sua própria raiva de ser e existir; e que apenas crê em Deus como um fato inegável, porém desgraçado; visto que tal Deus é por tal pessoa visto como cruel e inimigo da alegria e da aventura de ser e crer; e, por tal razão, essa pessoa transfere para Deus sua própria visão mesquinha da vida, buscando assim não perder o que seja de Deus; porém, sem entender que o que Deus quer não é o dom que Ele deu, mas sim que a pessoa cresça conforme a confiança que tenha no fato de que Deus é amor, e também quanto à realidade de que Ele nunca dá sem que peça depois, e também nunca pede mais do que a capacidade de cada um de desenvolver.
Aqui em Mateus o que faz um Servo Inútil é a Amargura que se faz transferir para Deus e para a vida!
Sim! Pois toda amargura é paralisante!...
Já no evangelho de Lucas o Servo Inútil é aquele que é pago para fazer as coisas, mas, ainda assim, quer que ao chegar de suas tarefas o patrão se levante para agradecer!
Sim! Trata-se daquele tipo de assalariado que nunca é voluntário para nada, mas que deseja que o Patrão seja grato por ele fazer apenas aquilo que é pago para fazer!
Assim, em tal caso o Servo Inútil é o Funcionário do Bem, mas que nunca é Voluntário do Bem!
O Servo Inútil [ou] esconde com raiva a chance de servir... [conforme Mateus]; ou, então, é aquele que acha que a vida tem uma divida para com ele; portanto, realizando ele apenas o que lhe for mandado como tarefa de um salário, mas sem jamais se oferecer para a vida como um voluntário; sem cheque list, porém checando a vida e se dispondo a servir sem pensar em recompensa. Desse modo o Servo Inútil é aquele que recebe o dom da Graça e o enterra sob a alegação de que servir a Deus é coisa dura e arriscada; ou, então, é aquele que serve a Deus e à vida na esperança de ser visto como herói de algo que nada mais é do que mera obrigação; ou seja: de algo cujo pagamento é a Graça de fazer.
Servo Inútil é todo aquele que diz:
“Não fiz nada, mas não atrapalhei... Afinal, Deus é duro!”
Ou então:
“Fiz tudo o que me mandaram. Recebi muito por isto. Mas onde está o reconhecimento?...”
Os amargurados fazem a primeira declaração com muito orgulho...
Os narcisistas, legalistas, justicistas e auto-referentes fazem a segunda declaração com cobrança ingrata...
Acerca de ambos os casos e espíritos [...] Jesus apenas diz...
Mateus:
Tirai-lhe, pois, o talento; e dai-o ao que tem os dez talentos. Porque a qualquer que tiver será dado, e terá em abundância; mas ao que não tiver até o que tem ser-lhe-á tirado.
Lançai, pois, o servo inútil nas trevas exteriores; ali haverá pranto e ranger de dentes.
Lucas:
Assim também vós, quando fizerdes tudo o que vos for mandado, dizei: Somos servos inúteis, porque fizemos somente o que devíamos fazer.
Agora veja...
Se você não oscila entre dias nos quais você esconde a Graça com raiva de Deus por mera amargura contra a vida...
Ou, então...
Veja se você não é daqueles que fazem a obrigação que é remunerada com Graça inefável, e, ainda assim, desenvolve expectativas que o Patrão da Vida não dispensará a você jamais...
Amargurados e Narcisistas não ganham nada de Deus!
O Servo Bom é aquele que se sabe tão inútil, que, por tal razão, vê em toda chance de servir algo que é apenas um Indizível Privilégio!
Nele, que assim disse que é,

sexta-feira, 3 de setembro de 2010

Separados para espalhar alegria


“Separai-me agora a Barnabé e a Saulo para a obra a que os tenho chamado” (At 13.2)

Em todos os tempos e épocas vemos Deus separando homens e mulheres para realizarem o chamado divino em suas vidas. São os chamados “santos” (do Gr. Hagios e do Hebr. Kodesh) que o Eterno separou para si, para anunciarem as Boas Notícias de reconciliação a todo aquele que desejar ouvir.

O santo de Deus não é o ‘separado do mundo’ para não se contaminar com suas mazelas, como os fariseus pensavam, mas é aquele que aceitou sobre si o seu chamado, a sua missão, e o cumpre. Sobre Paulo, por exemplo, recaía o chamado de pregar o evangelho, e ele chega a dizer: “ai de mim se não o fizer” (1Co 9.16). Ou seja, a vontade de Deus está aí sobre nós, e podemos reagir favorável ou desfavoravelmente a ela. Entretanto, é importante saber que nossos atos e decisões gerarão um juízo divino sobre eles.

Servir a Deus é entregar a nossa agenda a Ele para que nossas prioridades sejam re-ordenadas. Na verdade, só existem dois tipos de pessoas: as que dizem a Deus – “seja feita a Tua vontade”, e aquelas que darão vazão somente a seus desejos. As primeiras desejam que Deus reine em suas vidas, no lar, nos negócios. As últimas pretendem seguir os seus instintos. Cabe aqui uma advertência: lutar contra a vontade de Deus sobre nossa vida é o caminho da infelicidade e o início do naufrágio pessoal.

Rudes pescadores cuja única pretensão era jogar diariamente suas redes ao mar, e sustentar suas famílias com os peixes vendidos, foram chamados para um propósito que jamais poderiam sonhar.

O que dizer de Gideão, malhando o trigo para sustentar sua família, e Deus o escolhe para livrar toda a nação das mãos dos opressores midianitas. Ele retruca, dizendo-se incapaz, mas Deus insiste no Seu propósito. Lição: Às vezes estamos vivendo tão absortos, cuidando de ‘nossa’ sobrevivência, pensando em ‘nossa’ família, em ‘nossas’ dores e necessidades, e vem o Senhor e nos diz: “Eu não quero mais vê-lo tão preocupado com as suas coisas… deixe que delas Eu cuido. Eu tenho um ‘servicinho’ pra você”.

Entretanto, há um preço em servir a Deus. Quem é confrontado pelo Evangelho é desafiado a apostar tudo nele. É isso o que acontece nas parábolas de Jesus: o homem que achou a boa pérola, foi e vendeu tudo o que possuía para ficar com ela. O que achou o tesouro no campo também.

O escritor Leo Buscaglia conta a história do garoto Jamie que estava disputando um papel na peça da escola. Sua mãe tinha procurado preparar seu coração, pois ela temia que ele não fosse escolhido. No dia em que os papéis foram anunciados, ela foi buscá-lo. Chegando ao portão, Jamie correu para a mãe, com os olhos brilhando de orgulho e emoção:

- “Adivinha o quê, mãe!”. E disparou as seguintes palavras:
- “Eu fui escolhido para bater palmas e espalhar alegria!”

Fico me perguntando se não é justamente esse chamado que Jesus tem para todos nós, mas temo que só uma pequena parcela de cristãos compreendeu isso. A maioria ainda está demasiadamente preocupada consigo mesma. Não entenderam ainda nada do que Jesus mostrou em todo o seu ministério: a importância da simplicidade, da misericórdia, da tranqüilidade dos pássaros, não entendeu nada sobre o perdão, sobre a graça que vem sobre maus e bons…..

O mundo não suporta mais religiosos cheios de “queixavor” (um pouco de queixa, um pouco de louvor), estéreis, briguentos, nuvens carregadas sem chuva. De nada vale ser chamado de “crente” ou “evangélico”, ou qualquer outro nome, se não temos espalhando nada de bom à nossa volta.

É engraçado que as pessoas acham que o seu chamado ou a sua missão estão longe, num lugar diferente de onde elas se encontram. Porém, na maioria das vezes o chamado a servir está justamente onde você está: em sua casa, no seu bairro, em seu trabalho, em sua igreja. O gadareno liberto de demônios queria seguir a Jesus e fazer missão transcultural. Bondosamente o Mestre o envia, mas de volta pra casa: “volta pra tua esposa, pra tua cidade, para os teus filhos… e anuncia-lhes o que Deus fez por ti”.

No Reino de Deus não há serviço menor ou maior, chamado menos importante ou mais importante. Antes de Davi ser ungido como rei em Israel, ele foi escolhido para guardar o rebanho de seu pai. Sim, escolhido para afugentar lobos, e atirar pedra em chacais. O genuíno amor está sempre preocupado com o específico, e não apenas com o geral, com alguém, uma pessoa, e não com várias coisas (E.Peterson). É fácil deixar de dar valor às coisas comuns e presentes à nossa frente, mas Deus tem essa maneira peculiar de nos apresentar Seu chamado. Tudo que Davi fez foi com um coração tão puro, que o Senhor o escolheu para ser rei de uma nação.

É preciso aprender que na vida nem sempre seremos contados entre os melhores, nem teremos beleza marcante, e provavelmente seremos reprovados nos melhores concursos. E é possível que durante toda a nossa vida não sejamos conhecidos por mais de uma centena de pessoas. Por isso sempre gosto sempre de pensar nos inúmeros anônimos servidores do Rei, que estão espalhando bondade, alegria, e uma forma diferente de viver, pessoas que vale a pena estar ao lado delas.

Creio que Deus sempre está chamando pessoas a viver de uma forma diferenciada no mundo, ainda que anônimas. Talvez a oração que Deus mais se agradaria em ouvir de nossos lábios, não seria o pedido de um aumento de salário, ou um carro melhor, mas: “Senhor, ensina-me a viver, ensina-me a ouvir Teu chamado. Não tenho nada de especial, mas aquilo que sou eu ofereço integralmente a Ti. Amém”.

segunda-feira, 30 de agosto de 2010

O Serviço autentico nesta dispensação!


Marta, porém, andava preocupada com muito serviço; e aproximando-se, disse: Senhor, não se te dá que minha irmã me tenha deixado servir sozinha? Dize-lhe, pois, que me ajude. Lucas 10:40

O ideal do serviço impulsionado, pelo ideal do sucesso, representa uma grande motivação no envolvimento das pessoas. Há um empenho muito forte por trás do caminho do desempenho. As pessoas ficam assoberbadas de serviços, porque buscam a aceitação, mediante a execução de tarefas, que apresentem os talentos e a qualidade de uma personalidade de sucesso. Para muitos, a maior glória, não é ter mais que os outros, mas é servir de uma maneira mais intensa que os outros. Muito serviço aparentemente desinteressado esconde no seu bojo a idéia de aprovação, e busca resultados de êxito, que comprovem a importância e grandeza de seus ideais.

Marta se encontrava ocupada com muitas tarefas, preocupada com os resultados favoráveis e implicada com a atitude de sua irmã. Normalmente as pessoas que estão envolvidas com o desempenho de suas vidas, se complicam em muitas empreitadas, se confundem nos labirintos das inquietações, e se intrometem inadequadamente na vida alheia. O excesso de ocupação, pressionado pelo peso da preocupação e coagido pela implicação do comportamento dos outros, causa um desgaste profundo na personalidade e uma impropriedade virtual no humor. Marta se encontrava estressada em virtude de seu trabalho motivado pela expressão do sucesso a todo custo, e pela atitude irritada do seu vitimismo.

Muitos de nós vivemos assim: nos ocupamos em muitos trabalhos; nos preocupamos com seu comprimento; e nos chateamos com as atitudes e reações indiferentes das pessoas, diante dos papéis que estamos desenvolvendo. Assim, o nosso serviço, atrelado às metas do sucesso, se torna um fardo extremamente pesado e insuportável. É por isso que muitos de nós acabam embaraçados na crítica amargurada e sucumbem na depressão estressante.

O serviço verdadeiro é aquele que é executado sem a coação do êxito. Nosso alvo deve ser serviço, não sucesso. Se trabalhamos pela alegria do serviço, não nos preocupamos com os alardes dos seus efeitos. A impressão causada pela opressão dos resultados acaba na depressão de espírito e na repressão dos relacionamentos. Aqueles que estão impulsionados pela pressão do desempenho terminam realizando um serviço obrigado, tenso e murmurante. Neste clima, o trabalho se constitui numa escravatura, cujas grilhetas invisíveis se estampam nos sentimentos desmotivados e nas tarefas executadas sob o humor, constrangido do encargo. Nada é mais insípido do que o serviço desempenhado sob a hipoteca do dever e caucionado pela determinação do sucesso. Aquilo que você deve fazer, para que tenha sucesso e seja aceito – é um aprisionamento do espírito do serviço. Quando, pois, deres esmolas, não faças tocar trombetas diante de ti, como fazem os hipócritas nas sinagogas e nas ruas, para serem vistos pelos homens. Mateus 6:2. Temos aqui um outro prisma de um serviço adequado. A busca de aprovação dos homens tem sido a causa de muitas distorções na qualidade do serviço. Mais nos preocupamos com os relatórios e opiniões, do que com a execução despretenciosa de nossas funções. Um serviço legítimo é aquele que é levado a efeito sem as exigências de uma moral externa e sem a cobrança interna de dar satisfações aos outros. Não há interesses subalternos nem recompensas embutidas na trajetória de um serviço autêntico. O servo que serve para servir, serve como servo livre e desempedido, sem as exigências dos empregados e as obrigações dos escravos. Um serviço isento das exigentes expectativas externas e incentivado pelo caráter sublime da alegria de servir, tem conseqüências extraordinárias tanto em quem o pratica como para quem é determinado. Servir sem esperar a recompensa é servir já recompensado. Servir bem sem a preocupação de dar um relatório, ou de buscar o aplauso dos outros, para o nosso serviço, é um estado de libertação que nos garante um desenvolvimento sincero e desapaixonado.

Há um pensamento do reverendo H. H. Hobbs que amplia um pouco mais a idéia do serviço. Diz ele: O mundo mede a grandeza de um homem pelo número de pessoas que o servem; enquanto que os Céus avaliam a estatura dos homens pelo número de pessoas a quem eles servem. Servir ao maior número possível sem se servir deste serviço, para desenvolver o seu prestígio. Servir sem a conotação de vítima, sem o alarde do relatório, sem esperar a recompensa, sem o manuseio dos interesses é um serviço do espírito do evangelho: Então, enquanto temos oportunidade, façamos o bem a todos, mas principalmente aos domésticos da fé. Mas, quando tu deres esmola, (e fizeres o bem), não saiba a tua mão esquerda o que fez a direita. Gálatas 6:10 e Mateus 6:3. O serviço cristão não escolhe a quem servir, não limita a quantos deve servir, nem proclama aos quatro ventos o serviço realizado.

Por fim, o serviço que traz as marcas do evangelho de Jesus Cristo, não se relaciona com a idéia de grandeza: Levantou-se também entre os discípulos uma contenda, sobre qual deles parecia ser o maior. Ao que Jesus lhes disse: Os reis dos gentios dominam sobre eles, e os que sobre eles exercem autoridade são chamados benfeitores. Mas vós não sereis assim; antes o maior entre vós seja como o mais novo; e quem governa como quem serve. Pois qual é maior: quem está à mesa, ou quem serve? Porventura não é quem está à mesa? Eu, porém, estou entre vós como quem serve. Lucas 22:24-27. Não há qualquer manifestação de orgulho ou ostentação no serviço realizado dentro do reino de Deus. Se nós nos vangloriamos dos nossos serviços é porque estes foram realizados com a finalidade de nos projetar, e isto significa claramente falta de regeneração. Só o ego vivo e ativo quer ser reconhecido. O egoísmo é a causa do serviço propalado. O engrandecimento com os serviços prestados é uma total ausência de um coração transformado. O serviço nunca pode tornar-se escravidão para aquele que ama, nem tão pouco um trampolim de lançamento. Quem serve de verdade não se serve do serviço para conseguir se ressaltar. E um ego crucificado é o único veículo de um serviço autêntico.

segunda-feira, 9 de agosto de 2010

Aprendendo com Jesus a descansar nos braços do Pai


Ministramos sobre este assunto na reunião dia 8/08/2010 e creio aprendemos um pouco mais da Pessoa de Jesus e seus inumeros ensinos para nossa vida!
MARCOS 4: 35 AO 38

NAQUELE DIA, SENDO JÁ TARDE, DISSE-LHES JESUS: PASSEMOS PARA A OUTRA MARGEM. E ELES, DESPEDINDO A MULTIDÃO, O LEVARAM ASSIM COMO ESTAVA, NO BARCO; E OUTROS BARCOS O SEGUIAM.
ORA, LEVANTOU-SE GRANDE TEMPORAL DE VENTO, E AS ONDAS SE ARREMESSAVAM CONTRA O BARCO, DE MODO QUE O MESMO JÁ ESTAVA A ENCHER-SE DE ÁGUA.
E JESUS ESTAVA NA POPA, DORMINDO SOBRE O TRAVESSEIRO; ELES O DESPERTARAM E LHE DIZEM: MESTRE, NÃO TE IMPORTA QUE PEREÇAMOS !

JESUS ESTAVA NO BARCO COM OS DISCÍPULOS, E ELE HAVIA DADO UMA PALAVRA DE ORDEM PASSEMOS PARA O OUTRO LADO DA MARGEM, E INESPERADAMENTE SURGI A TEMPESTADE, VENTOS CONTRÁRIOS, E ENQUANTO OS DISCÍPULOS SE DESESPERAVAM, DOMINADOS PELO MEDO, PELA INSEGURANÇA, JESUS DORMIA TRANQUILAMENTE EM PLENA TEMPESTADE.
O MEDO, A FALTA DE FÉ, GERA A CEGUEIRA ESPIRITUAL, ERA IMPOSSÍVEL O NAUFRÁGIO DAQUELE BARCO, PORQUE JESUS ESTAVA DENTRO DELE, O PRÓPRIO DEUS NA PESSOA DE JESUS CRISTO, MAS MESMO COM JESUS NO BARCO OS DISCÍPULOS DEIXARAM SE LEVAR PELO MEDO DA TEMPESTADE, PELO BARULHO DOS VENTOS CONTRÁRIOS, E O DIABO ELE APROVEITA OS CORAÇÃO DO HOMEM A DÚVIDA, O MEDO, NEUTRALISAR A FÉ, MAS COM CRISTO NO BARCO TUDO VAI MUITO BEM, NÃO IMPORTA O TAMANHO DAS ONDAS, O BARULHO DO VENTO, PARA SER FELIZ, PARA ALCANÇAR A PAZ QUE TODOS DESEJAM É PRECISO APRENDER A DORMIR NOS BRAÇOS DO PAI EM QUALQUER CIRCUNSTÂNCIA.

Aqui está a proposta para nós neste dia que se chama HOJE

segunda-feira, 2 de agosto de 2010

A liberdade revela que tipo de Filhos Somos e temos sido!

Esta frase tem trabalhado com meu interior no ultimo mês. A cada dia mais e mais filhos de Deus não sabem lidar com a liberdade que Cristo deu a eles.
Vejo como ainda os santos irmãos precisam de leis, regras e não aceitam muito a ideia de ser guiado pelo Espírito Santo que neles habita.

Como você amado leitor tem usado sua liberdade?
Pare e pense por alguns minutos...
Depois pense em parte da reflexão que tivemos no ultimo domingo para com um grupo de irmãos (Batista Betel em Alto Caparaó)na ultima noite de domingo
Atos 20.35
Tenho-vos mostrado em tudo que, trabalhando assim, é mister socorrer os necessitados e recordar as palavras do próprio Senhor Jesus: Mais bem-aventurado é dar que receber.
Nossa liberdade em todos os níveis deve ser alvo de muito apreço e cuidado. Não são poucos os homens que usam mal sua liberdade. Na minha curta vida até aqui já presenciei muitos irmãos que usam sua liberdade para algo que pode prejudicar sua vida de comunhão com Deus. A obra que Jesus realizou foi uma obra libertadora no Espírito. Ele inaugurou uma nova era, dispensação da graça. Um homem que crê de coração e confessa que Jesus é seu Salvador, Senhor tem seu espírito salvo e daquele dia em diante ele passa a usufruir de uma vida espiritual livre. Mas aqui nasce uma crise, pois este homem tem uma alma e um corpo que precisam ser trabalhados por Deus. Sua Salvação precisa desenvolver-se!
Fp 2.12
Assim, pois, amados meus, como sempre obedecestes, não só na minha presença, porém, muito mais agora, na minha ausência, desenvolvei a vossa salvação com temor e tremor;
Mas alguns equívocos que a religião tem divulgado:
1° A centralidade no Homem e em seu bem estar
2° A inversão de valor referente ao trabalhar de Deus: Corpo, alma e Espírito e não Espírito, Alma e Corpo.
Somente a Palavra de Deus revelada pode trazer a separação do que é Espiritual Alma, e Carnal em nós.
Hebreus 4:12
Porque a palavra de Deus é viva, e eficaz, e mais cortante do que qualquer espada de dois gumes, e penetra até ao ponto de dividir alma e espírito, juntas e medulas, e é apta para discernir os pensamentos e propósitos do coração.
E sendo assim vale a pergunta: “Como temos usado nossa liberdade em Cristo”.
1° No que concerne a lei da semeadura:
Gl 6.7
Não vos enganeis: de Deus não se zomba; pois aquilo que o homem semear, isso também ceifará.
Colhemos o que plantamos. E o que estamos plantando? Quantidade da semente ou qualidade da semente que temos semeado. Aqui está um segredo que tem feito alguns filhos de Deus cativos e sem paz.
Salvos mas sem paz e sem alegria proveniente da liberalidade. Vejamos:
Provérbios 11:24
A quem dá liberalmente, ainda se lhe acrescenta mais e mais; ao que retém mais do que é justo, ser-lhe-á em pura perda.
2ª Cor 9.10-15
Ora, aquele que dá semente ao que semeia e pão para alimento também suprirá e aumentará a vossa sementeira e multiplicará os frutos da vossa justiça, enriquecendo-vos, em tudo, para toda generosidade, a qual faz que, por nosso intermédio, sejam tributadas graças a Deus. Porque o serviço desta assistência não só supre a necessidade dos santos, mas também redunda em muitas graças a Deus, visto como, na prova desta ministração, glorificam a Deus pela obediência da vossa confissão quanto ao evangelho de Cristo e pela liberalidade com que contribuís para eles e para todos, enquanto oram eles a vosso favor, com grande afeto, em virtude da super abundante graça de Deus que há em vós.
Graças a Deus pelo seu dom inefável!
Semear amor, rectidão, ser amigo, ser uma pessoa confiável nos segredos a ti confiado. Traz resultados em forma de colheitas para sua vida. Nesta noite muitos não são livres na questão das finanças. São cristãos confusos sobre a questão dos dízimos e ofertas ao Senhor. Um cristão sem entendimento é presa fácil para obreiros fraudulentos e vendedores modernos da palavra.
2 Cor 2.17
Porque nós não estamos, como tantos outros, mercadejando a palavra de Deus; antes, em Cristo é que falamos na presença de Deus, com sinceridade e da parte do próprio Deus.
Sl 14.4
Acaso, não entendem todos os obreiros da iniquidade, que devoram o meu povo, como quem come pão, que não invocam o SENHOR?
Fil 3.2
Acautelai-vos dos cães! Acautelai-vos dos maus obreiros! Acautelai-vos da falsa circuncisão!
Assim como parte da Igreja de Corinto duvidava do Apóstolo Paulo, acerca de seu apostolado e chamava de aproveitador o levando a ser mantido por outras localidades para não dar este direito aos irmãos de chamar a ele de aproveitador. Veja:
1ª Cor 9.02-07
Se não sou apóstolo para outrem, certamente, o sou para vós outros; porque vós sois o selo do meu apostolado no Senhor. A minha defesa perante os que me interpelam é esta: não temos nós o direito de comer e beber? E também o de fazer-nos acompanhar de uma mulher irmã, como fazem os demais apóstolos, e os irmãos do Senhor, e Cefas? Ou somente eu e Barnabé não temos direito de deixar de trabalhar? Quem jamais vai à guerra à sua própria custa? Quem planta a vinha e não come do seu fruto? Ou quem apascenta um rebanho e não se alimenta do leite do rebanho?
Faço me valer desta noite para sermos esclarecidos a luz da palavra de Deus sobre este magno assunto com o seguinte dizer:
Quais seriam as razões daqueles que não desejaram dar ouvidos a mensagem de Noé, pois a arca era para ficar confinado? Quais seriam as razões da cidade de Jerusalém para não receber o cuidado de Jesus para com ela e o levou a chorar olhando para ela? Quais seriam as razões de um irmão que recebe sementes de Deus e tem reação de ingrato e de incrédulo? Pensando nisto nasceu esta reflexão: A liberdade revela quem verdadeiramente você é. Quer conhecer alguém de a ele liberdade!

domingo, 25 de julho de 2010

A Natureza Humana x A Natureza Divina


Nesta noite com a benção de Jesus compartilhamos sobre um tema edificante na reunião da Igreja. "Quem somos na Arca? Corvos ou Pombas?.
Todos nós as vezes parecemos com corvos. Gostamos de nos alimentar de morte, das coisas de mundo tenebroso, daquilo que nossa natureza caída tem prazer. Mas surge um desafio que é sem sombra de dúvida o lema para nossa geração. Nos voltar ao Espírito e entregar tudo que somos, temos e desejamos nas mãos daquele que nos conhece desde a Eternidade Passada.
Você amado leitor quem tem sido na sua casa, no seu trabalho, no seu convívio?Se você é cristão, quem tem sido você no local onde reúne e na comunhão com os irmãos?
Pense nisto e que Jesus lhe dê uma semana rica de amor!!!

terça-feira, 20 de julho de 2010

Um Compartilhar do livro "a Janela mais Ampla" Muito Precioso!!!!


O autor da seguinte história é desconhecido. Alguns anos atrás, quando passei por uma prolongada enfermidade e pela fraqueza física que se seguiu, tornei-me vulnerável aos ataques e às insinuações mentirosas de Satanás. Naqueles momentos, dúvidas e temores me oprimiam, a ponto de quase me subjugar completamente. Faltava-me paz verdadeira. Na minha condição de abatimento, preocupava-me especialmente com a minha aparente falta de amor e a minha frieza de coração para com Deus me assustava!

Quando peguei o Pão Diário, um livro de mensagens devocionais, e li a mensagem de segunda-feira, descobri uma preciosa pepita, em forma de conselho dado a um companheiro cristão: "Quando chegar em casa anseio por colocar minha filhinha no colo, olhar em seus olhos meigos e confiantes e ouvir sua deliciosa tagarelice. Farei isso porque amo aquela criança intensamente. Ela é apenas uma garotinha e seu amor por mim ainda é tão pequenino. Se o meu coração estivesse entristecido, seu inocente sono não seria interrompido. Se o meu corpo estivesse moído de dor sua brincadeira não seria interrompida. Mesmo se eu viesse a morrer, ela provavelmente se esqueceria de mim em poucos dias.

Mas nem todo o dinheiro do mundo poderia comprar minha filhinha. Por quê? É ela quem me ama ou sou eu que a amo? Reteria o meu amor até ter a certeza de que ela sente o mesmo por mim? Certamente não! Eu a amo porque ela é minha filhinha. Ela é muito preciosa aos meus olhos !"

Inesperadamente ficou claro para mim. De uma maneira inédita, compreendi o que significava o amor do Pai. Com os olhos cheio de lágrimas, consegui apenas exclamar: "Compreendi! Não é o meu amor por Deus, mas é o Seu amor por mim ... é nisso que devo pensar!" Com essa compreensão, senti um amor por Ele que nunca havia experimentado antes. Compreendi, então, o que João escreveu:

1 João 4:10
Nisto consiste o amor: não em que nós tenhamos amado a Deus, mas em que ele nos amou e enviou o seu Filho como propriciação pelos nossos pecados.

1 João 4:16
E nós conhecemos e cremos no amor que Deus tem por nós. Deus é amor; e aquele que permanece no amor permanece em Deus, e Deus, nele.

domingo, 18 de julho de 2010

Místicos Cristãos e o Crescimento Espiritual



Quando fui salvo, eu amava ao Senhor e tinha um grande desejo de crescer e avançar na vida cristã. Desde o começo de minha vida cristã, ocupei-me em pregar o evangelho e prestava muita atenção a minha condição interior diante do Senhor. Para mim, a vida cristã resumia-se em pregar o Evangelho; porém, após certo tempo, estava vazio interiormente. Houve, então, um despertar em meu coração e desejei progredir espiritualmente com o Senhor. Alguns irmãos sugeriram-me a leitura da autobiografia de Madame Guyon. A primeira vez que li aquele livro fiquei temeroso, porque ela sofreu muito; eu acreditava que se quisesse realmente servir e crescer na graça, teria que sofrer muito. Sua história era linda, porém me apavorava. Na época eu tinha quinze ou dezesseis anos de idade, e o mundo lá fora era cheio de atrações. Disseram-me que se quisesse ser espiritual teria de sofrer. Então, no início, não apreciei muito aquele livro, mas um irmão que realmente conhecia o Senhor disse: 'Depois de Paulo, Madame Guyon foi provavelmente a pessoa mais espiritual em toda história da Igreja; sua autobiografia é provavelmente o escrito mais espiritual de todos os tempos'. Como eu era jovem e queria ser espiritual, comecei a reler aquele livro. Fiquei impressionado por perceber que muitas irmãs queriam copiar Madame Guyon, queriam ser muito espirituais também. Passei por um período no qual acreditei que Madame Guyon era a pessoa mais espiritual depois de Paulo.

Alguns irmãos diziam: 'Se quiser ser espiritual, leia todos seus escritos, serão de grande ajuda'. Felizmente, alguns foram traduzidos para o chinês. Ela era muito espiritual, disse coisas como: 'Desejo beijar o cajado de Deus'. Essa senhora tinha características nobres. algo especial que outros não tinham. Havia algo peculiar na sua escolha da cruz. Muitos foram realmente tocados por sua história. Para mim, Madame Guyon era a máxima espiritualidade, até que fui para os Estados Unidos para continuar meus estudos. Sou muito agradecido a Deus porque, na década de 60, quando estive em Nova Iorque, tive o privilégio de conhecer o irmão Stephen Kaung. O irmão Kaung é um servo do Senhor muito rico na Palavra e me ajudou tremendamente durante quatro anos. Certa vez ele abriu sua biblioteca e disse-me: 'Pode ler o livro que quiser'. Mesmo assim perguntei-lhe que livros me aconselharia ler. Ele repetiu 'qualquer livro'. Lembrei-me de que, no passado, quando ainda morava no Oriente, achava que só determinados livros me ajudariam. Naqueles poucos anos em Nova Iorque, procurei aproveitar o máximo para aprender com o irmão Stephen Kaung. O Senhor o tem usado tremendamente em várias partes do mundo. Então lhe falei sobre Madame Guyon porque queria ouvir sua opinião. Para mim ela era o máximo; suas experiências eram as mais espirituais de todas, acreditava que seus escritos eram necessários para mim. Para minha surpresa, ele comentou: 'Entre os místicos da história da Igreja, Madame Guyon foi a menor; ela foi a menor de todos'. Fiquei surpreso com sua resposta; para mim ela havia chegado ao topo, mas o irmão Stephen Kaung discordou. Então perguntei qual era o maior e ele me disse que, entre os maiores místicos, estavam John Tauler e São João da Cruz. Então emprestou-me um livro de John Tauler o qual me tocou profundamente. Após a leitura do livro de John Tauler, comentei que achara muito interessante era como se estivesse lendo os livros de Watchman Nee. Ele concordou. Comentei, então, que achava que Watchman Nee havia sido influenciado por John Tauler, pois ao ler os escritos do Watchman Nee sentimos a unção de Deus e o mesmo acontece quando lemos John Tauler. Percebemos a unção de Deus, pois às vezes somos levados à Sua presença e descobrimos que eles entraram na presença de Deus de forma profunda.

Meus olhos foram abertos. Vi que na história da Igreja há um grande número de irmãos que amaram ao Senhor e em cujos corações houve profunda operação da cruz. Esses irmãos relatam suas experiências cristãs, de um estágio a outro, explicam problemas e crises de cada estágio e como resolvê-los à medida que crescemos no Senhor. Interessei-me pelos escritos místicos. Sabia que o irmão Kaung havia sido co-obreiro de Watchman Nee e era dez anos mais jovem que ele. Então quis saber como o irmão Nee havia lhe ajudado e treinado; de fato, eu queria saber como havia se tornado tão espiritual. Ele me narrou o seguinte acontecimento: 'O irmão Nee treinou-me a falar. Ele nunca dizia quando eu pregaria, mas pediu que estivesse sempre preparado. Certa vez, um domingo, na hora da reunião, ele escreveu um bilhetinho: 'Hoje você pregará'. Então levantei-me e falei'. Como o irmão Kaung era ainda jovem, era muito crítico consigo mesmo, o irmão Nee sabia que se sentasse no auditório, ele não conseguiria falar. Então ele escondeu-se atrás de uma escada. O irmão Kaung pregou de maneira maravilhosa. Somente mais tarde descobriu que o irmão Nee o ouvira. Deus pôde usá-lo poderosamente porque estava sempre preparado.

A maneira como Watchman Nee treinou Stephen Kaung foi diferente dos outros. A cada duas semanas, ele visitava o irmão Nee e recebia livros, ia para casa e os lia. Após duas semanas, voltava e discutia sobre os livros lidos. Desejei saber quais livros o irmão Nee lhe dera para ler. Ele disse que não entendia por que o irmão escolhera aqueles livros; eram todos escritos místicos. Mas, porque o irmão havia pedido que os lesse, após muito tempo leu todos. O estudo daqueles livros levou o irmão Kaung a escrever o livro 'O Cântico dos Degraus''. Esse livro versa sobre quinze salmos, do Salmo 120 ao 134. Cada um destes salmos tem um título como Cântico dos degraus' ou 'Cântico de Romagem'. Todos os anos o povo de Israel ia adorar em Jerusalém e, para entrar na casa de Deus, tinham de subir quinze degraus. Em cada degrau cantavam um dos salmos, até que chegassem a presença de Deus. Esses salmos são extremamente ricos.

Enquanto o irmão Kaung estudava a Palavra, perguntou ao Senhor se os quinze salmos referiam-se a estágios da vida cristã e, quanto mais estudava, mais se convencia disso. Ele descobriu que aqueles salmos poderiam ser divididos em três grupos, então consultou todos os escritos dos místicos, procurando algo semelhante e descobriu que, entre os místicos, havia muitas experiências com o Senhor. Talvez não conhecessem bem a Bíblia , mas, por meio dessas experiências, passaram por vários estágios da vida cristã.

Autor: Christian Chen

sábado, 17 de julho de 2010

Mais um momento entre os irmãos...


Nesta noite recebemos o amado Pr Sandro da cidade de Bom Jesus de Quereno que é irmão biologico de um amado irmão, Leandro que reúne conosco aqui na cidade de Alto Caparaó.
Recebemos uma palavra voltada para uma vida de adoração.
Que o Senhor veja em nós realidade Espiritual sempre e nos guarde da religião ainda tão presente dentro de nós.

Pr Carlos Eduardo

sexta-feira, 16 de julho de 2010

Para aqueles que estão passando por alguma circusntancia de dúvida


A pressão das circunstâncias
Não só o pecado e a necessidade criam pressão, mas as circunstâncias produzem-na também. Deus permite que os crentes passem pela pressão das circunstâncias para que vivam diante Dele. Freqüentemente, situações adversas são levantadas na vida dos filhos de Deus. Alguns são perturbados pelos familiares, outros, pelos amigos. Alguns podem sofrer perdas nos negócios; outros podem ser perseguidos pelos colegas. Uns podem ser hostilizados ou mal-interpretados pelas pessoas; outros podem ter dificuldades financeiras. Por que todas essas coisas lhes sobrevêm? Muitos crentes normalmente não reconhecem quão preciosa é a vida regenerada que receberam. Embora sejam nascidos de novo, são ainda ignorantes do fato de que sua vida regenerada não tem preço. Mas, uma vez que estejam sob pressão, eles começam a apreciar sua vida regenerada porque essa nova vida que Deus lhes deu os capacita a vencer em todas as situações. Todas essas pressões exteriores podem provar a realidade da vida regenerada e de seu poder. O Senhor propositadamente nos coloca em situações adversas a fim de nos lembrar que, sem Sua vida, não podemos suportar. O poder da Sua vida é manifesto através da pressão exterior.

Muitos cristãos consideram, como vida boa, aquela que tem poucas dificuldades e angústias. Sempre que deparam com alguma coisa dolorosa, eles pedem a Deus para removê-la. Podemos dizer que eles estão vivendo, mas isso certamente não pode ser chamado de ressurreição. Suponhamos que, em sua constituição natural, você pudesse suportar a censura de dez pessoas, mas não mais; assim, pede a Deus para não permitir que você seja tentado acima da censura dos dez. Mas Deus permite que a pressão de onze pessoas venha sobre você. Em tais situações, você, por fim, clama a Ele que não pode mais suportar, pois está além da sua capacidade. Permita-me dizer que Deus, não obstante, deixará que você seja pressionado além daquilo que seu próprio poder e paciência e bondade naturais possam suportar. O resultado será que você dirá a Ele que não pode mais suportar e pedirá que lhe conceda o poder para vencer. Naquele momento, você experimentará um poder novo e maior que pode suportar crítica, não apenas de dez, mas até de vinte pessoas. Você veio a reconhecer e experimentar que, quanto maior for a pressão, maior seu poder; e que, sempre que estiver sem poder, é porque você não foi colocado sob a disciplina da pressão.


Fonte: "O Poder da Pressão" de Watchman Nee

quinta-feira, 15 de julho de 2010

Mutualidades na Vida da Igreja


Propósito de Deus: Vida como Família

Quais são os mandamentos que a Palavra de Deus tem para os relacionamentos entre irmãos?

Existem expressões comuns, tais como:
“Uns aos outros”, “Mutuamente”, “Reciprocamente”
Que demonstram este princípio

Em relação ao amor
17 vezes - amai-vos uns aos outros
Ef 4:32 - Sede benignos uns para com os outros
Rm 15:7 - Acolhei-vos uns aos outros
1Pe 5:14 - Saudai-vos uns aos outros
Tg 5:16 - Orai uns pelos outros
Rm 12:16 - Tende o mesmo sentimento uns para com os outros
I Co 12:25 - Tende igual cuidade uns para com os outros
Gl 6:2- Levai as cargas uns dos outros

Em relação ao Ensino
Cl 3:16 - Aconselhai-vos mutuamente
Cl 3:16 - Instruí-vos mutuamente
I Ts 5:11 - Edificai-vos reciprocamente
Rm 15:14 - Admoestai-vos uns aos outros
Hb 3:13 - Exortai-vos mutuamente

Em Relação aos Erros
Cl 3:13 - Suportai-vos uns aos outros
Ef 4:32 - Perdoai-vos uns aos outros
Tg 5:16 - Confessai vossos pecados uns aos outros
I Ts 5:13 - Vivei em paz uns com os outros
Ef 5:21 - Sujeitai-vos uns aos outros

Em Relação ao Serviço
Gl 5:13 - Sede servos uns dos outros
I Pe 4:10 - Servi uns aos outros
I Pe 4:9 - Sede mutuamente hospitaleiros

Em Relação à Comunhão
I Jo 1:7 - Mantemos comunhão uns com os outros

Mutualidades que devemos evitar
Cl 3:9 - Não mintais uns aos outros
Tg 4:11 - Não faleis mal uns dos outros
Tg 5:9 - Não vos queixeis uns dos outros
Rm 14:13 - Não nos julguemos uns aos outros
Gl 5:26 - Provocando-nos uns aos outros e tendo inveja uns dos outros
Gl 5:15 - Se vos mordeis e devorais uns aos outros

Amai-vos uns aos outro
Jo 13:34 - Novo mandamento vos dou: que vos ameis uns aos outros
Jo 13:34 - Assim como eu vos amei, que também vos amei uns aos outros
Jo 15:12 - O meu mandamento é este, que vos ameis uns aos outros, como eu vos amei
Rm 12:10 - Amai-vos cordialmente uns aos outros com amor fraternal
Rm 13:8 - A ninguém fiqueis devendo coisa alguma, exceto o amor com que vos ameis uns aos outros
I Ts 3:12 - E o Senhor vos faça crescer, e aumentar no amor, uns para com os outros
I Ts 4:9 - No tocante ao amor fraternal, não há necessidade de que eu vos escreva, porque vós mesmos já estais instruídos por Deus que deveis amar uns aos outros
II TS 1:3 - Irmãos, cumpre-nos dar sempre graças à Deus no tocante a vós outros, pois ... vosso mútuo amor de uns para com os outros vai aumentando
I Pe 1:22 - Amai-vos de coração uns aos outros
I Pe 4:8 - Acima de tudo, porém, tende amor intenso amor uns para com os outros, porque o amor cobre uma multidão de pecados
I Jo 3:11 - Porque a mensagem que ouvistes desde o princípio é esta, que nos amemos uns aos outros
I Jo 3:23 - Ora, o seu mandamento é este... que nos amemos uns aos outros, segundo aquilo que nos ordenou
I Jo 4:6,7 - Amados, amemo-nos uns aos outros, porque o amor procede de Deus, e todo o que amam é nascido de Deus
I Jo 4:11 - Amados, se Deus de tal maneira nos amou, devemos nós também amar uns aos outros
I Jo 4:12 - Ninguém jamais viu a Deus, se amarmos uns aos outros, Deus permanece em nós, e o seu amor é em nós aperfeiçoado
II Jo 5 - E agora, senhora, peço-te, não como se escrevesse mandamento novo, senão o que tivemos desde o princípio, que amemo-nos uns aos outros.

segunda-feira, 12 de julho de 2010

Ministração dia 11 de Julho de 2010!!!


Nesta data partimos o pão com os irmãos, cumprindo o que a Palavra de Deus nos orienta. Nestes dias pessoalmente tenho provado de um tempo novo com o Senhor no que concerne a obra pessoal dele em minha vida. Muito tem me inquietado os Ministerios Biblicos e sua realidade hoje. Estamos tão distantes da realidade deles, mas sonhando com a restauração assim como Abraão que não viu a promessa mas acenava de longe e confessava.
Confesso que tenho aprendido que em Adão nossa natureza carnal foi corrompida e nossa maior luta é contra ela neste tempo. Meditamos nesta data sobre a costela tirada de Adão, seu sono, seu despertar e sua visão quando viu aquela que seria sua carne auxiliadora. Caminhamos até os Evangelhos e vimos Jesus na cruz onde saiu sangue e agua de seu lado o que nos mostra a redenção pelo sangue e o lavar regenerador da agua pela Palavra. E assim concluimos que o Senhor está preparando uma noiva retirada de seu interior,a sua Igreja Gloriosa Sem Mácula nem ruga da qual faz parte os lavados e remidos dede a Eternidade Passada!!!
OH!!Como anelo o dia que o nosso Senhor virá para estabelecer seu Reinado Milenar. Reino este que começa em mim na era presente como ele disse para orarmos!!!

Venha Teu Reino, seja feita a tua vontade, assim na terra como no céu!!!

quinta-feira, 8 de julho de 2010

As Metas do Milenio...Um Alvo do Senhor para os seus escolhidos



No ano 2000 a ONU (Organização das Nações Unidas) reuniu líderes de 191 nações para discutir a questão social no mundo. Dessa reunião foi aprovado um documento contendo oito metas para ser alcançadas até o ano 2015. As metas do milênio, como são chamadas, no ritmo em que estão sendo colocadas em ação preocupa os analistas se o mundo, ao final do prazo, terá alcançado o objetivo proposto.
Essas metas que visam alcançar um bem-estar social que condiga com todo o avanço civilizatório e tecnológico são: 10) Erradicar a extrema pobreza e a fome; 2) Atingir o ensino básico e universal; 3) Promover a igualdade de gênero, 4) Reduzir a mortalidade infantil; 5) Melhorar a saúde materna; 6) Combater as principais doenças; 7) Garantir a sustentabilidade social e 8) estabelecer uma parceria mundial para o desenvolvimento das nações.
Ao longo dos anos e governos não faltaram promessas para melhorar a condição de vida das pessoas, no entanto, por que a maioria dessas promessas nunca foi alcançada de forma efetiva? O grande obstáculo é o próprio homem e o seu sistema opressor, exploratório, competitivo, desumano e egoísta. O homem quando se afasta de Deus e procura viver segundo seus próprios princípios colhe conseqüências da sua natureza humana caída.
O que precisamos fazer é arrepender-nos e nos converter para termos nossos pecados cancelados e esperar da presença de Senhor tempos de refrigério mediante Sua volta a qual restaurará todas as coisas como foi falado pela boca dos profetas (Atos 3:19-21).
O mundo já passou por várias dispensações: a era dos patriarcas, a da lei e hoje estamos na era da igreja. No final dessa dispensação o Senhor Jesus introduzirá a era do reino milenar. É nessa era que todas as coisas serão definitivamente colocadas em ordem. Essas são algumas metas de Deus para a dispensação do milênio:
1. Cristo como o Rei regerá todas as nações (Salmo 2:8-9).
2. Todos os povos afluirão para Ele, a fim de serem educados por Sua Palavra (Isaías 2:3).
3. As espadas se converterão em relhas de arado (Isaías2:4).
4. Cristo julgará com justiça os pobres e decidirá com equidade a favor dos mansos da terra (Isaías 11:4-5).
5. O lobo habitará com o cordeiro, o leão será guiado pelos pequeninos e as crianças de peito brincarão sobre a toca da áspide e não haverá dano nenhum (Isaías 11:6-10).
6. Os astros brilharão no total de Sua força e haverá cura total para os povos (Isaías 30:26).
7. A tão sonhada longevidade será alcançada (Isaías 65:20).
8. Haverá casas e alimentos para todos sem muito trabalho e Deus será o grande Pai (Isaías 65:21-24).
9. Haverá a unidade dos povos (Zacarias 8:20-23).
10. Cristo estabelecerá a abundante paz (Salmo 72:1-17).
Disse Jesus: “Passará o céu e a terra, porém minhas palavras não passarão (Mateus 24:35).

terça-feira, 6 de julho de 2010

O Tempo Presente é para desenvolver nossa Salvação


Desenvolvendo a Salvação
Fl. 2.12
“Assim, pois, amados meus, como sempre obedecestes, não só na minha presença, porém, muito mais agora, na minha ausência, desenvolvei a vossa salvação com temor e tremor;”

A Salvação da Alma.

Os Três Tempos da Salvação
Passada:
é a salvação do espírito, regeneração, justificação (Rm.5.1 - 2Tm.1.9 - Tito 3.5).
Presente:
é a salvação da alma, quebrantamento, santificação (Fl.2.12 - Hb.7.25 -Lc.21.9 - Tg.1.21 -Mc.8.35).
Futura:
é a salvação do corpo, ressurreição, redenção (Rm.13.11 - Hb.9.28 - Rm.8.23).

O Homem é Uma Tricotomia

Espírito: formado de intuição, consciência e comunhão

Alma: formada de mente, emoção e vontade

Corpo: carne, ossos e sangue

A alma é o órgão de decisão, porque a vontade é parte dela.
Se a alma não for quebrada e governada pelo espírito humano regenerado e pelo Espírito Santo, o crente não tem como ser espiritual.
A alma continua se submetendo às exigências do corpo.

O Novo Nascimento:
é a vivificação do nosso espírito que estava morto em suas funções para Deus.
Depois de vivificado, o Espírito Santo pode habitar nesse espírito regenerado (Rm.8.16).

A Salvação da Alma

1.Qual é o Seu Significado? É a negação do Eu - o quebrantamento da alma

2. Como Essa Salvação é Realizada? Por meio da cruz que tomamos cada dia

3. Quando Será Manifestada Essa Salvação? Durante o período do Reino de Cristo nessa terra.

As Três Categorias de Pessoas

1. O homem natural (psiquikos) - vive pela alma apenas. Morto em delitos e pecados (1Co.2.14)

2. O crente carnal (sarkikos) - tem o espírito regenerado mas vive sob a direção da alma (1Co.3.1a)

3. O crente espiritual - o Espírito Santo através do espírito regenerado governa a alma e o corpo (1Co.3.1b)

PASSAGENS BÍBLICAS SOBRE A ALMA

Santificação - 1 Tess.5.23
Salvar ou perder a alma - Mt. 16.24-28
A torre e a guerra - Lc. 14.25-35
Dias de Noé e a mulher de Ló - Lc.17.20-37
Perseverar para ganhar a alma - Lc.21.19
O perigo de retroceder - Hb.10.39
Os anciãos velam pelas almas - Hb.13.17
O fim da fé: salvação da alma - 1 Pd.1.9
A palavra enxertada salva a alma - Tg. 1.21
Descanso para a alma - Mt. 11.28-30
Maria, a alma e a espada - Lc.2.35
Adão foi feito alma vivente - 1Co.15.45
Divisão da alma e do espírito - Hb. 4.12
Purificação da alma - obediência - 1 Pd.1.22
Guerra conta a alma - paixões - 1 Pd.2.11
O Pastor e Bispo das almas - 1 Pd. 2.25
Entrega da alma ao Senhor - 1 Pd. 4.10
A alma justa e afligida de Ló - 2 Pd.2.8
A prosperidade da alma - 3 Jo. 2
Comércio de almas - Apoc.18.13

sábado, 3 de julho de 2010

ME ENGANA QUE EU GOSTO (Ed Rene Kivits)


As culturas devem ser lidas nas linhas e entrelinhas. As linhas falam da coisa em si. As entrelinhas falam do espírito da coisa. As entrelinhas podem distorcer e até mesmo destruir o que está dito nas linhas.

Com a cultura cristã não é diferente. Veja o exemplo da assinatura da Igreja Universal do Reino de Deus, a saber, Jesus Cristo é o Senhor. De acordo com o Novo Testamento, isso significa que devemos viver como escravos dos propósitos de Jesus Cristo: ele manda e a gente obedece, ele propõe e a gente executa, ele dirige e a gente segue, pois afinal de contas, Ele é o Senhor. Mas na cultura da IURD, as entrelinhas dessa afirmação fazem com que ela signifique que Jesus pode realizar todos os seus desejos, afinal de contas Ele é o Senhor. A relação fica invertida: você clama e ele responde, você reivindica e ele atende, você pede com fé e ele lhe dá o que foi pedido, você participa da corrente de oração e se submete aos 318 pastores e Jesus faz a sua vida próspera e confortável, pois Jesus Cristo é o Senhor e você é “filho do rei”, de modo que não há qualquer motivo para que você continue nessa vida miserável, daí a segunda convocação da IURD: “para de sofrer”. Percebe como as linhas dizem uma coisa e as entrelinhas dizem outra?

O movimento evangélico é mestre em fazer confusão e promover distorção do Evangelho em virtude desse jogo de linhas e entrelinhas. Um exemplo disso é a mensagem VAI DAR TUDO CERTO, que recebi essa semana.

SALMO 22
VAI DAR TUDO CERTO

DEUS me pediu que te dissesse que tudo irá bem contigo a partir de agora.
Você tem sido destinado para ser uma pessoa vitoriosa e conseguirá todos teus objetivos.
Nos dias que restam deste ano se dissiparão todas as tuas agonias e chegará à vitória.
Esta manhã bati na porta do céu e DEUS me perguntou...
'Filho, que posso fazer por você ?'
Respondi:
'Pai, por favor, protege e bendiz a pessoa que está lendo esta mensagem'.
DEUS sorriu e confirmou: 'Petição concedida'.
Leia em voz baixa...
'Senhor Jesus :
Perdoa meus pecados.
Amo-te muito, te necessito sempre, estás no mais profundo de meu coração, cobre com tua luz preciosa a minha família, minha casa, meu lugar, meu emprego, minhas finanças, meus sonhos, meus projetos e a meus amigos'.
Passe esta oração a 5 pessoas, no mínimo.
Receberás um milagre amanhã.
Não o ignore.

Deus tem visto suas Lutas.
Deus diz que elas estão chegando ao fim.
Uma benção está vindo em sua direção.
Se você crê em Deus, por favor envie esta mensagem para 20 amigos.
Se acredita em Deus envia esta mensagem a 20 pessoas,
se rejeitar lembre Jesus disse:
“se me negas entre os homens, te negarei diante do pai” Dentro de 4 minutos te dirão uma notícia boa

Deixo de lado a crítica gramatical e o péssimo uso da lingua portuguesa. Dedico minha atenção ao conteúdo da mensagem que, travestida de cristã, é absolutamente anti-cristã: mentirosa, fantasiosa, desprovida de qualquer sentido bíblico, desalinhada com o todo do ensino e experiência de Jesus, seus apóstolos, e seus primeiros seguidores, totalmente alinhada com os dircursos baratos da auto-ajuda e da enganação religiosa, enfim, uma versão barata e piedosinha da superstição sincrética do espiritualismo popular.

A afirmação “vai dar tudo certo”, lida de acordo com as linhas do Novo Testamento, significaria, por exemplo, que os propósitos de Deus prevalecerão, a marcha da igreja de Jesus Cristo contra os poderes do mal será vitoriosa, a vontade de Deus será um dia feita na terra como o céu. Mas também significaria que os seguidores de Jesus seriam sempre ovelhas em meio aos lobos [Mateus 10.16], odiados pelo sistema sócio-político-econômico anti reino de Deus, ameaçados de morte, rejeitados, caluniados, e perseguidos por causa do nome de Jesus [Mateus 5.10-12], e passariam por muito sofrimento e tribulação antes de receberam a vitória plena no reino eterno de Deus [Atos 14.22]. Isto é, antes de dar tudo certo, daria tudo errado.

A convicação de que “em Cristo somos mais que vencedores” [Romanos 8.37], e que “em Cristo Deus sempre nos conduz em triunfo” [2Coríntios 2.14], é também acompanhada de uma profunda compreensão a respeito dos custos de se colocar ao lado de Deus e do reino de Deus, em oposição à injustiça e aos agentes promotores e mantenedores da morte no mundo.

Porque me parece que Deus nos colocou a nós, os apóstolos, em último lugar, como condenados à morte. Viemos a ser um espetáculo para o mundo, tanto diante de anjos como de homens. Nós somos loucos por causa de Cristo, mas vocês são sensatos em Cristo! Nós somos fracos, mas vocês são fortes! Vocês são respeitados, mas nós somos desprezados! Até agora estamos passando fome, sede e necessidade de roupas, estamos sendo tratados brutalmente, não temos residência certa e trabalhamos arduamente com nossas próprias mãos. Quando somos amaldiçoados, abençoamos; quando perseguidos, suportamos; quando caluniados, respondemos amavelmente. Até agora nos tornamos a escória da terra, o lixo do mundo.
[1Coríntios 4.9-13]
Fica, portanto, muito evidente que quando os cristãos do Novo Testamento diziam que “vai dar tudo certo” estavam afirmando coisas completamente diferentes dessas afirmadas na mensagem que recebi pela internet, que diz:

Tudo irá bem contigo a partir de agora.

Você tem sido destinado para ser uma pessoa vitoriosa e conseguirá todos teus objetivos.

Nos dias que restam deste ano se dissiparão todas as tuas agonias e chegará à vitória.

Cobre com tua luz preciosa a minha família, minha casa, meu lugar, meu emprego, minhas finanças, meus sonhos, meus projetos e a meus amigos'.

Receberás um milagre amanhã.

Uma benção está vindo em sua direção.

Dentro de 4 minutos te dirão uma notícia boa.

Meu amigo, minha amiga, não é verdade que “tudo irá bem contigo a partir de agora”, e também não é verdade que “você tem sido destinado para ser uma pessoa vitoriosa e conseguirá todos teus objetivos”. Não se iluda, pois não é verdade que “nos dias que restam deste ano se dissiparão todas as tuas agonias e chegará à vitória”. Preste atenção: o compromisso cristão não suplica que Deus cubra com sua luz “minha família, minha casa, meu lugar, meu emprego, minhas finanças, meus sonhos, meus projetos e a meus amigos”. Na verdade, o compromisso cristão exige que você deixe de viver para seus sonhos, seus planos e seus projetos e passe a viver para Deus, pois, como ensina a Bíblia, “o amor de Cristo nos constrange, porque estamos convencidos de que um morreu por todos; logo, todos morreram. E ele morreu por todos para que aqueles que vivem já não vivam mais para si mesmos, mas para aquele que por eles morreu e ressuscitou“ [2Coríntios 5.14,15], e justamente por isso é que quem deseja seguir a Jesus deve lmebrar o que Jesus disse:

"Se alguém quiser acompanhar-me, negue-se a si mesmo, tome a sua cruz e siga-me. Pois quem quiser salvar a sua vida a perderá, mas quem perder a sua vida por minha causa, a encontrará. Pois, que adiantará ao homem ganhar o mundo inteiro e perder a sua alma? Ou, o que o homem poderá dar em troca de sua alma?” [Mateus 16.24-26]

Também não é verdade que “receberás um milagre amanhã” e que “dentro de quatro minutos te dirão uma notícia boa”.

Pelo amor de Deus, jogue fora esse evangelho açucarado, que promete o que Deus jamais prometeu, e gera falsas esperanças nas pessoas. Respeite o sofrimento e a dor das milhares de pessoas que, apesar de sua fé, e talvez justamente por causa de sua fé, passam fome, não têm mínimas condições de sobrevivência, sofrem as consequências de tragédias pessoais e fatalidades naturais, são vítimas de um sistema mundano cruel, que as condena à escravidão e a uma vida sem futuro. Lembre dos cristãos que vivem na África, na Índia, na América Latina, e nos rincões miseráveis do Brasil. Seja solidário com as minorias: os negros escravizados, as mulheres violentadas, as crianças abusadas, as populações indígenas dizimadas, os refugiados de guerra, os perseguidos políticos, os desaparecidos. Respeite a grandeza dos cristãos perseguidos e mortos sob a tirania do fundamentalismo islâmico e dos regimes políticos ateístas. Pense um pouco se essa mensagem “vai dar tudo certo, todos os seus sonhos se realizarão, você vai receber um milagre amanhã” faz algum sentido na ala infantil do Hospital do Câncer, no campo de refugiados (mutilados) de Angola, ou nos casebres secos do sertão brasileiro.

Construa sua fé sobre um alicerce mais sólido. Por exemplo, o Salmo 22, aviltado com essa mensagenzinha “vai dar tudo certo”. Aliás, é bom lembrar que Bíblia não é um livro que pode ser manuseado por qualquer pessoa, de qualquer jeito. Da mesma maneira que não é qualquer pessoa que pode dar palpite a respeito do direito, de medicina, da engenharia, ou do marketing, também a teologia exige um mínimo de preparo, senão, muito preparo mesmo. Digo isso porque talvez o autor dessa mensagenzinha não saiba que o Salmo 22 é um dos Salmos messiânicos, que profetiza o sofrimento e o fracasso do Messias, que foi (1) abandonado por Deus e pelos homens [Meu Deus! Meu Deus! Por que me abandonaste? Por que estás tão longe de salvar-me, tão longe dos meus gritos de angústia? Meu Deus! Eu clamo de dia, mas não respondes; de noite, e não recebo alívio! Não fiques distante de mim, pois a angústia está perto e não há ninguém que me socorra], (2) rejeitado [Mas eu sou verme, e não homem, motivo de zombaria e objeto de desprezo do povo], (3) insultado [Caçoam de mim todos os que me vêem; balançando a cabeça, lançam insultos contra mim], (4) dilacerado pela dor que lhe foi brutalmente imposta [Como água me derramei, e todos os meus ossos estão desconjuntados. Meu coração se tornou como cera; derreteu-se no meu íntimo. Meu vigor secou-se como um caco de barro, e a minha língua gruda no céu da boca; deixaste-me no pó, à beira da morte. Cães me rodearam! Um bando de homens maus me cercou! Perfuraram minhas mãos e meus pés], e por fim (5) cuspido na cara e crucificado como impostor.

Para esse Messias não deu nada certo. Ele não recebeu uma boa notícia quatro minutos após sua agonia no Getsêmani, e também não recebeu um milagre no dia seguinte. No dia seguinte foi crucificado.

Mas esse Messias, apresentado pelo profeta como “homem de dores, que sabe o que é padecer” [Isaías 53], “Deus exaltou à mais alta posição e lhe deu o nome que está acima de todo nome, para que ao nome de Jesus se dobre todo joelho, nos céus, na terra e debaixo da terra, e toda língua confesse que Jesus Cristo é o Senhor, para a glória de Deus Pai” [Filipenses 2.9-11]. Isso sim é dar tudo certo.

Provavelmente alguém vai dizer que é isso o que a mensagenzinha da internet quis dizer. Mas não foi. Nas linhas, pode ter sido. Mas no contexto da religiosidade popular e da subcultura evangélica, a mensagenzinha sugeriu que “os seus sonhos e os seus projetos” darão certo, e que você pode esperar para amanhã aquela resposta milagrosa de Deus para resolver seus problemas e dificuldades particulares, e que em quatro minutos você vai receber uma notícia boa, muito provavelmente trazendo a você uma benção na forma de conforto e prosperidade.

Em síntese, a mensagenzinha pode ser interessante, pode trazer uma esperança e um conforto para quem está lutando contra um sofrimento ou uma dificuldade medonha, e pode até mesmo trazer um alívio do tipo “eu sei que não é bem assim, mas é bom pensar que é, ou acreditar que pode ser”. Mas definitivamente essa mensagenzinha não tem nada a ver com o Evangelho de Jesus Cristo.

Tempo de Crescimento rumo a Maturidade


Inexperiência x Maturidade
A Bíblia compara a vida espiritual infantil com a vida de um escravo. A lei produz escravos, a graça produz filhos livres, responsáveis e comprometidas com a verdade.
Gálatas 4:1-5 "Digo, pois, que, durante o tempo em que o herdeiro é menor, em nada difere de escravo, posto que é ele senhor de tudo. Mas está sob tutores e curadores até ao tempo predeterminado pelo pai. Assim, também nós, quando éramos menores, estávamos servilmente sujeitos aos rudimentos do mundo; vindo, porém, a plenitude do tempo, Deus enviou seu Filho, nascido de mulher, nascido sob a lei, para resgatar os que estavam sob a lei, a fim de que recebêssemos a adoção de filhos."
O processo da passagem da criança para o adulto espiritual desenvolve-se com mais facilidade quando houver:
1 - o apoio da comunidade de modo geral, 2 - o apoio dos irmãos em Cristo, 3 - o apoio do líder da igreja, 4 - a paciência do pastor em explicar-lhe a necessidade do crescimento e da maturidade espiritual para que ele se beneficie do chamado que lhe foi feito por Deus para a liberdade adulta, responsável e comprometida com Ele - não de culpa, nem de condenação - para viver a graça e a verdade porque a lei escraviza, condena e culpa.
Gálatas 3:21-25 "É, porventura, a lei contrária às promessas de Deus? De modo nenhum! Porque, se fosse promulgada uma lei que pudesse dar vida, a justiça, na verdade, seria procedente de lei. Mas a Escritura encerrou tudo sob o pecado, para que, mediante a fé em Jesus Cristo, fosse a promessa concedida aos que crêem. Mas, antes que viesse a fé, estávamos sob a tutela da lei e nela encerrados, para essa fé que, de futuro, haveria de revelar-se. De maneira que a lei nos serviu de aio para nos conduzir a Cristo, a fim de que fôssemos justificados por fé. Mas, tendo vindo a fé, já não permanecemos subordinados ao aio." (Ler Gálatas 5:13-14 ). Lei não é regra de vida, é espírito de condenação; a graça é verdade e é vida.
Gálatas 3:11 "E é evidente que, pela lei, ninguém é justificado diante de Deus, porque o justo viverá pela fé." Quando tu deixas a lei e seus rudimentos e passas a conhecer e viver a graça e a entender os mistérios de Deus, a tua relação com Ele e com o teu próximo torna-se uma relação de amor, tens uma postura de edificação não só de aparência exterior, tens uma postura interior que brota do teu coração confirmado e circuncidado pela graça do Senhor. Desiste dos medos, das tradições, das coisas que escravizam, das atitudes da meninice que te ensinaram a ter, uma vez que elas pareciam ser o certo, mas não eram.
1ª Coríntios 13:11 "Quando eu era menino, falava como menino, sentia como menino, pensava como menino; quando cheguei a ser homem, desisti das coisas próprias de menino." Paulo era um perito na lei, conhecedor de todos os seus detalhes e meandros, quando se deu conta da diferença entre sua criancice e seu estado de adulto espiritual maduro; pelo conhecimento e vivência da graça passou a depender só e exclusivamente de Deus. O adulto espiritual sabe criar relações fortes e duráveis com Deus, com o próximo e com a igreja, sabe que é membro de um corpo vivo, e a interdependência que então se estabelece é prova da sua maturidade. Ele deixa de ser escravo, liberta-se das exigências dos ritos vazios exigidos pela lei. A nossa chamada é para vivermos livres em Cristo; uma vez conhecida esta liberdade, não podemos voltar atrás ou decair da graça, conforme diz Paulo em Gálatas 5:4 "De Cristo vos desligastes, vós que procurais justificar-vos na lei; da graça decaístes." Decai da graça quem tenta justificar-se com as obras da lei, não tem o repouso nem o descanso de Deus, não usufrui dos benefícios do novo pacto, é um escravo, e como tal não tem direitos, só obrigações. A vigência da lei terminou, ela não nos acrescenta nada mais.
Romanos 3:20 "... visto que ninguém será justificado diante dele por obras da lei, em razão de que pela lei vem o pleno conhecimento do pecado." (Ler Romanos 10:4) 11:6 "E, se é pela graça, já não é pelas obras; do contrário, a graça já não é graça." Crê na verdade da Graça do Senhor. Ele se fez um contigo. Ele escreveu o teu nome no livro da vida. Ele conhece tua vida em todos os seus detalhes. Tu foste comprado pelo preço do sangue sem mácula do Cordeiro de Deus que nos lavou e nos purificou, e agora ninguém mais pode desfazer o que está feito. Dentro de nós foi posta uma semente incorruptível e eterna que produz vida para sempre! Carinhosamente,

Uma mensagem compartilhada por um amado de Deus ao meu coração nesta semana que muito me edificou

quarta-feira, 30 de junho de 2010

As Oito fases da Casa de Deus



1) O Tabernáculo
De 1500 a 1000 A .C – Ex 25:8
Deus veio morar nele – Ex 40:33-38
A causa da sua destruição: infidelidade, irrealidade, obsessão.

I Sm 2:12-17; 22-25, 27-29; 4:1-5; 10,11, 17-22;
II Sm 6:3-11, 12-17; 7:1-13; Sl 132;
I Rs 3:4, 5, 10, 15; Sl 78:60


2) O Templo de Salomão
De 1000 a 586 A.C
I Rs 8:6, 7, 10, 11, 13, 27. Foi o centro do culto a Deus, mesmo depois da divisão causada por Jeroboão. Foi destruído por Nabucodonosor em 586 A .C na terceira expedição. O culto cessou durante 40 anos.

Causas: Idolatria e Imoralidade;
Ez 8:3-12; 9:3, 4, 18, 19 – 11:22, 23 (43:1-5)


3) O Templo de Zorobabel
De 536 ao nascimento de Cristo
Os alicerces são lançados – 3:10-13
Conclusão – 6:14-17
Embelezamento – 7:10, 27
Foi profanada por Antíoco Epifânio e restaurado por Herodes, após 46 anos de trabalho – Jo 2:20


4) O Templo da Pessoa do Senhor Jesus
De 30 a 33 e meio D.C
Jo 2:19-22; Mt 23
Habitou entre nós - Jo 1:14
Habitou nEle – Cl 1:19; 2:9
Destruí este templo (naós) – Jo 2:19-22


5) O Templo da Igreja
De 35 ao Arrebatamento - (Data Indefinida - Mt 24:36, I Ts 5:2)
O Mistério de Deus – Cl 2:2
O Mistério de Cristo – Ef 3:4-6

O Espírito com e em vós – Jo 14:17
Jesus não havia sido glorificado – Jo 7:37-39
Batizados formando um corpo – I Co 12:13
Há um só corpo – Ef 4:1
A Igreja é o Corpo – Ef 1:22, 23
Edifício, habitação de Deus no Espírito – Ef 2:21, 22
Casa espiritual – I Pe 2:4, 5
Vosso corpo é santuário de Deus – I Co 6:19
Vós sois o santuário de Deus – I Co 3:16


6) O Templo Durante a Grande Tribulação – Apocalipse 11:1-3
Na Segunda Carta aos Tessalonicenses, Paulo escreveu que o Anticristo se assentará no “santuário de Deus” (Ap 2:4). Jesus se referiu a este fato quando falou sobre “o abominável da desolação” (Mt 24:15). Portanto o Templo Judaico deverá ser novamente edificado.


7) O Templo Durante o Milênio – Ezequiel 40
Esta revelação foi dada ao profeta Ezequiel, quando este se encontrava no exílio babilônico. O ultimo ataque de Satanás será desferido contra “o arraial dos santos e a cidade querida” (Ap 20:9).


8) O Templo da Nova Jerusalém – Apocalipse 21, 22
Cidade-Templo, Cidade-Noiva 21:2
O Santuário é o Senhor – 21, 22
A glória de Deus a ilumina – 21, 23
O Cordeiro é a sua lâmpada 21, 23


A Glória de Deus Abandona o Templo
A contaminação do Templo – Ez 8
A glória de Deus estava lá – Ez 8:4
Deus iria se afastar dele – Ez 8:6
Diziam que Deus não via – Ez 8:12
Mulheres choravam por Tamuz (Adonis, grego) – Ez 8:14
Davam as costas para o Templo e adoravam o sol – Ez 8:16

O Inicio do Afastamento da Glória – Ezequiel 9
A glória se eleva do querubim – 9:3
Os que temem são selados – 9:4
O julgamento começa pelo santuário – 9:6

A Glória Prossegue se Retirando – Ezequiel 10
Se eleva dos querubins e vai para a entrada da casa – 10:4
Da casa passa aos querubins – 10:8
Se dirigem à Porta Oriental da Casa do Senhor – 10:19

A Glória se Afasta Totalmente do Templo – Ezequiel 11
A glória estava sobre os querubins; eles sobem da cidade e se colocam sobre o Monte ao Oriente da Cidade – Ez 11:22, 23

O Retorno da Glória do Senhor – Ezequiel 43:15
Será que a Igreja, a Casa de Deus, o Templo do Espírito Santo, conserva a Glória do Senhor desde os dias primitivos, desde o Pentecoste? A Glória será restaurada antes do arrebatamento dos Vencedores? Que o Senhor tenha misericórdia do Seu povo! Onde está Sua glória hoje?

Quando o Templo foi restaurado nos dias de Zorobabel e embelezado por Esdras, algumas coisas importantes do Templo edificado por Salomão não retornaram: não houve fogo do céu para consumir os sacrifícios o Sumo Sacerdote não possuía mais o Urim e o Tumim, as pedras que simbolizavam Luz e Revelação, a quantidade de bois e ovelhas oferecidos estava longe daquela oferecida por Salomão, o Santo dos Santos estava vazio: a Arca da Aliança não estava mais lá.

Seriam essas coisas indicações do Senhor com respeito à restauração da Igreja em nossos dias? É lamentável se assim for, mas Paulo não disse que tudo o que dantes foi escrito foi escrito para nosso ensino? (Rm 15:3). A história de Israel não é um espelho para a Igreja? A Arca da Aliança não foi levada pelos Filisteus, devido à infidelidade do povo de Deus? O Tabernáculo não ficou sem a Arca, deixando vazio o Santo dos Santos? E não é verdade que o Santo dos Santos não voltou para ele? Davi não armou uma tenda em Jerusalém e não ofereceu sacrifícios diante dela, o mesmo fazendo Salomão, depois de ter recebido a revelação do Senhor em Gibeá, onde estava o Tabernáculo? Depois disso a Arca não foi levada para ser colocada no templo de Salomão, e ali a Glória de Deus não encheu a casa permanecendo nela até a visão de Ezequiel?

Será que a Glória de Deus ainda permanece com a Igreja, mesmo depois de tanto fracasso e desobediência? Nos dias de Pedro e João eles confessaram: “Não tenho prata nem ouro,” mas por outro lado, tinham a vida e o poder para declarar: “O que tenho, isso te dou: Em nome de Jesus Cristo, o Nazareno, anda” (At 3:1-10).

Autor: Delcio Meireles