sexta-feira, 3 de abril de 2009

Colocando a barba de molho...Vale a pena dar uma lida

Cansado de ver seus sermões caírem no vazio, um pastor resolveu dar uma lição inesquecível aos seus ouvintes.
Num dos cultos semanais mais concorridos, ele subiu ao púlpito com seu aparelho de barbear, bacia, água, espuma, caneca, espelho e toalha. Nem sequer cumprimentou a igreja e, tranqüilamente, colocou água na bacia, testou a temperatura, ajeitou o espelho, pegou uma caneca, fez espuma, passou na cara, e começou a se barbear. Gastou vários minutos nisso, que pareceram uma eternidade para os presentes.
Ao final, quando todos esperavam que o pastor fosse fazer um desfecho maravilhoso, fosse lhes apontar o "moral da história", ele simplesmente enxugou o rosto com a toalha, encerrou o culto e despediu o povo de volta para as suas casas. Aquela semana foi atípica. O povo comentou o fato todos os dias, tentado adivinhar o significado de tudo aquilo: "-Que mensagem ele quer nos passar?", "-Qual é o simbolismo espiritual da água, do sabão, do barbear-se?"
Dias depois, quando ele subiu novamente àquele púlpito, a igreja estava cheia. O pastor olhou para a congregação e disse-lhes:
- Sei que vocês querem saber o significado do que fiz aqui neste púlpito na semana passada. Bem, eu vou lhes dizer: não há significado algum! Nenhum simbolismo. Nenhum desfecho maravilhoso. Nenhuma mensagem. Nenhum "moral da história".
- No entanto, se podemos tirar alguma lição disto tudo, é a seguinte: Há anos eu venho apresentando para vocês a mensagem bíblica, da necessidade de nascer de novo ganhar um novo coração, crer na morte de Cristo como minha ou seja nossa morte e também sua ressurreição sendo nossa ,levar por toda parte o morrer de Jesus para que sua vida se manifesta em seus corpos mortais mas não tenho visto nenhuma mudança em suas vidas. Minhas mensagens têm caído no esquecimento, tão logo vocês saem do nosso local de reunião . Eu gostaria que vocês comentassem meus sermões durante a semana, do mesmo modo que se dispuseram a comentar o meu barbear nestes últimos dias, ou será que a minha barba é mais importante para vocês que a Palavra de Deus?

Intimidade com Cristo!!!

Boaz e Rute: uma Figura de Cristo na Sua Igreja

O livro de Rute fala do romance de Boaz e Rute. Rute foi trazida de Moabe para Canaã, passou a viver na terra prometida, que mana leite e mel, e chegou até o campo de Boaz. É uma história linda sobre uma intimidade intensa que tipifica a intimidade com Cristo, a união com Cristo. Tomando as palavras de Paulo, observamos que o livro de Rute utiliza, nos primeiros dois capítulos, “Paulo em Cristo” e, nos dois últimos “Cristo em Paulo”. Boaz e Rute, respectivamente podem representar Cristo e o cristão. Na linguagem neotestamentaria, Rute, nos campos de Boaz, na terra de Canaã, tipifica Paulo em Cristo. Paulo, como Rute, apanhando as espigas no campo, desfrutava das riquezas de Boaz. À medida que vemos o campo, descobrimos quão rico é o Mestre; quanto mais experimentamos, mais nos surpreendemos com as riquezas da terra e dizemos que Paulo está em Cristo. A Segunda parte da história relata o casamento de Boaz e Rute. Em meio à intensa intimidade e relacionamento matrimonial, enquanto caminhava por aqueles campos novamente, Rute sentia-se outra pessoa. Antes de seu casamento com Boaz, ela dizia: “Este campo pertence a Boaz; estou desfrutando da sua plenitude. Oh! Que maravilhoso é estar nesta terra! Porém, depois de sua maravilhosa união com Boaz, ela diria: “Toda esta riqueza é minha, toda esta terra de Canaã é minha”. Antes, Rute estava na terra; após seu casamento com Boaz, porém, a terra estava nela por meio daquela maravilhosa união. Por isso podia dizer: “Tudo o que pertence a Boaz pertence a mim”.

O mesmo se dá com a fórmula “Paulo em Cristo”. Ele desfrutava da presença do Senhor. Quando estudava a Palavra, era como se estivesse colhendo nos campos de Boaz e dissesse: Oh! O meu Senhor é maravilhoso, esta é uma terra muito boa”. Graças a Deus, devido àquela maravilhosa união, Cristo estava em Paulo e tudo de Cristo pertencia a ele. Essa é a união com Cristo, o alicerce da vida cristã.

Texto extraído do livro: União Com Cristo - Um vislumbre do Livro de Rute.